Brasil estuda vetar vinda de "pegador"

Brasil estuda vetar vinda de "pegador"

RENATA MARIZ
postado em 13/11/2014 00:00
A repercussão negativa da vinda ao Brasil do americano Julien Blanc, que ministra cursos sobre como paquerar mulheres, levou o Itamaraty a acionar outros órgãos do governo federal para decidir a respeito de um eventual pedido de visto. O palestrante tem agenda em janeiro, em duas capitais: Florianópolis e Rio de Janeiro.

Em nota, a Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPM) classificou o conteúdo das apresentações de Blanc como ;sexista e racista;. As técnicas controversas ensinadas pelo americano incluem o uso de força física para obter contato com as mulheres. Em um vídeo sobre como se aproximar das asiáticas, ele afirma que homens brancos podem fazer o que quiserem.

A SPM lembrou, no comunicado oficial, que Blanc foi deportado da Austrália depois que uma petição eletrônica reuniu mais de 40 mil assinaturas. No Brasil, um abaixo-assinado já contava com mais de 200 mil assinaturas, no início da noite de ontem, pedindo ao Itamaraty e à Polícia Federal que barrem a entrada do americano no país.

O Itamaraty destacou que não há nenhuma decisão ainda sobre o caso. A SPM ressaltou que é ;radicalmente contra qualquer tipo de violência contra as mulheres e (atua) pela defesa dos direitos delas;, informando que acionaria o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. Blanc é associado a uma empresa americana de relacionamentos.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação