Bandido é baleado em assalto na 314

Bandido é baleado em assalto na 314

MARYNA LACERDA
postado em 13/11/2014 00:00
 (foto: Gustavo Moreno/CB/D.A Press)
(foto: Gustavo Moreno/CB/D.A Press)

Um bandido levou um tiro na perna ao tentar assaltar uma confeitaria da Asa Norte. O crime aconteceu no fim da noite de terça-feira na 314 Norte. Moradores ouviram, por volta das 23h30, quatro disparos. Além do assaltante ferido, havia pelo menos mais dois criminosos, que fugiram do local. Eles levaram apenas moedas e objetos escolares que pertencem à sobrinha do proprietário. Até o fechamento desta edição, o autor dos disparos contra os ladrões não havia sido identificado.
O dono do estabelecimento disse que recebeu, no fim da noite, uma ligação informando que a confeitaria havia sido assaltada. Ao acionar a Polícia Militar, soube que uma equipe estava no local acompanhando a situação. Ao chegar lá, encontrou manchas de sangue no chão e na porta lateral, de madeira. ;Foi assustador. Em oito anos que estamos aqui, essa é a primeira vez que a loja foi assaltada;, afirmou o comerciante.


A entrada da confeitaria tem reforço interno, arrebentado pelos assaltantes. Eles seguiram até o subsolo, onde fica a cozinha, e, como o caixa estava vazio e as máquinas da produção eram muito pesadas, tentaram levar uma tevê de LED e dois computadores. ;A sorte é que não guardo dinheiro aqui, senão o prejuízo teria sido maior;, disse o proprietário. No momento da invasão, não havia nenhum funcionário no local. Quando os suspeitos se preparavam para sair com os eletrônicos, a pessoa ainda não identificada disparou quatro vezes em direção a eles.


Uma moradora da quadra ouviu o primeiro disparo e se assustou. ;Ouvi um e tive aquela dúvida. No segundo, tive certeza de que era tiro mesmo. Vieram mais dois, e eu me abaixei. Quando o barulho cessou, fui à janela e vi um homem correndo para a residencial. Ele estava com uma mochila nas costas e sumiu no meio da quadra;, conta.


Esse é o segundo ataque a um comércio da 314 Norte nos últimos dois meses. Antes, uma lotérica foi invadida, e os cofres arrombados. O dono do local, que também não quis se identificar, conta que o sistema de monitoramento interno ficou destruído. ;Era uma quadrilha especializada, que veio com equipamento para arrebentar a porta e os cofres. Quando cheguei aqui, vi as moedas espalhadas pelo chão e tudo estragado;, lembra.


A Divisão de Comunicação da Polícia Civil do DF não conseguiu localizar a ocorrência do caso, apesar de a reportagem ter se deparado com peritos da corporação na confeitaria.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação