Ressalvas de professores às respostas do Enem

Ressalvas de professores às respostas do Enem

Especialistas consultados pelo Correio ressaltam as diferentes interpretações e os pontos que mereciam melhor explicação no teste aplicado para estudantes

MANOELA ALCÂNTARA
postado em 13/11/2014 00:00
 (foto: Daniel Ferreira/CB/D.A Press)
(foto: Daniel Ferreira/CB/D.A Press)


As questões elaboradas pelo Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) para avaliar os candidatos por meio do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) suscitaram ressalvas a professores e especialistas ouvidos pelo Correio, com base na divulgação ds gabaritos.

O professor de sociologia do Leonardo da Vinci Bruno Borges considera que as respostas oficiais das provas condizem com as expectativas, mas discorda acerca da questão 32 do caderno azul. O item abordava as manifestações de junho de 2013 e pedia uma análise do concorrente sobre a postura adotada pelo Estado na ocasião. ;Muitos acreditaram que a resposta seria a letra C, que tratava a atitude para salvaguardar o espaço público. Mas a resposta divulgada hoje foi a letra D, sobre conservar o exercício do poder;, conta.

Para ele, a questão foi um divisor de águas para analisar o perfil do exame. ;Incorporamos o questionamento como parte da prova de sociologia. Considerou-se que poderia ser a letra C porque ia de encontro a tudo que a prova defende sobre os direitos humanos;, argumenta.

Em um item de química, surgiu uma dúvida sobre a questão 82. ;Entendemos que a questão era fácil, mas se tornou complicada porque faltaram alguns valores no texto-base. Nós, professores, sabíamos a referência para a estrutura molecular, mas o aluno não tem obrigação de saber a quantidade de carbonos e insaturações dela. Faltou uma referência sobre isso;, diz o professor e coordenador de química do Sigma William Pinheiro. Ele acredita que a ausência de informações provocou dificuldade para interpretar a questão. ;Estava nebulosa. Os alunos excepcionais acertaram, com certeza. No entanto, o resto da prova estava bem contextualizado e não fugiu de nenhum tema ensinado no ensino médio;, afirma.

Os gabaritos estão na página no Inep (enem.inep.gov.br). Eles foram divididos pelas cores dos cadernos aplicados aos 6,2 milhões candidatos fizeram a prova no fim de semana. Embora o número represente um crescimento de 24% em relação aos 5 milhões participantes do certame em 2013, ocorreu um elevado índice de abstenção neste ano. Mais de 8,7 milhões de candidatos se inscreveram para o exame, mas 28,6% não o fizeram.

Os gabaritos estão dispostos de acordo com o teste realizado pelo participante. O estudante do terceiro ano do ensino médio Eduardo Souza Rodrigues, 17 anos, fez o teste amarelo, no sábado, e o rosa no domingo. Mesmo antes da divulgação oficial do Ministério da Educação, ele havia conferido as respostas com professores do cursinho. ;Não divergiu muito. Acertei 77% da prova. Acho que vou conseguir entrar para engenharia civil na UnB. Agora, só preciso esperar sair o resultado com a Teoria de Resposta ao Item (leia matéria ao lado) e o peso da UnB atribuído para a área de exatas;, afirmou.

Embora tenha considerado a prova ;tranquila;, Eduardo lamentou ter errado duas questões de física específicas. ;Tem uns termos que dá um branco na hora da prova. Fiquei com muita raiva, pois podia ter acertado essas duas.; Ele ainda achou a prova mais teórica do que nos anos anteriores. Ao contrário de muitos alunos que reprovaram o tema da redação, ele diz ter gostado. ;Vai dar para nivelar. Não foi o que muitos esperavam, então as dissertações mostrarão o nível dos participantes. Não porque eles estudaram aquele tema, mas por saberem estruturar um texto;, completou. O tema deste ano foi publicidade infantil em questão no Brasil.



Para saber mais
Como usar a nota

O desempenho dos participantes na prova do Enem é utilizado como critério para o acesso a programas oferecidos pelo Governo Federal. O Sistema de Seleção Unificada (Sisu), até este ano, dava acesso a 115 instituições públicas de ensino superior em todo o país. Em 2015, a quantidade pode subir devido ao número de adesões possíveis até a abertura das vagas. Algumas instituições aderem de forma parcial, outras com a totalidade das oportunidades.


A nota no Enem também pode ser usada para o ingresso no Programa Universidade para Todos (ProUni), para o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), o programa Ciência sem Fronteiras, além do Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica (Sisutec). A nota do Enem de 2014 deve sair no início do ano que vem. Em seguida, o Sisu abrirá o processo seletivo. Nele, o estudante poderá acompanhar as notas de cortes das instituições de ensino e se inscrever em até duas opções de curso.



Radiografia do Enem

8,7 milhões
Quantidade de inscritos em todo o país

6,2 milhões
Número de estudantes que fizeram o Enem

28,6 %
índice de abstenção em todo o país

160,9 mil
número de inscritos no DF

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação