Processo na CGU

Processo na CGU

postado em 19/11/2014 00:00
O ministro Jorge Hage, titular da Controladoria-Geral da União (CGU), declarou, na tarde de ontem, que vai instaurar inquérito administrativo para apurar as irregularidades cometidas pelas empreiteiras envolvidas na Operação Lava-Jato. ;Estamos só aguardando completar o compartilhamento de informações que pedimos à Polícia Federal;, disse Hage. ;Concluída a análise desses elementos, vamos instaurar processos, muito provavelmente contra várias dessas empresas, senão todas;, afirmou, em entrevista coletiva, após participar da Conferência Lei da Empresa Limpa, em São Paulo.

Hage declarou ainda que a Petrobras é a maior vítima do escândalo. ;A Petrobras é vítima nessa história, tanto de empresas e pessoas físicas como de agentes públicos que se deixaram corromper.; Ele salientou que algumas empresas envolvidas no escândalo já entraram em contato para tentar fechar um acordo de leniência para proceder o ressarcimento do dinheiro desviado.

Na semana passada, a CGU concluiu o relatório parcial da sindicância instaurada para investigar as relações entre a Petrobras e a empresa holandesa SBM Offshore, que atua no afretamento de plataformas de petróleo. O grupo estrangeiro confessou que pagou propina a funcionários da estatal petrolífera.

Com base nos resultados do relatório parcial, Hage determinou a abertura de processo de responsabilização da empresa, que poderá acarretar no impedimento de celebrar novos contratos com a Petrobras. Durante o processo, poderá haver a assinatura de acordo de leniência. A SBM inclusive já procurou a CGU para negociar um acordo.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação