Leilão de energia: só 4 lotes vendidos

Leilão de energia: só 4 lotes vendidos

postado em 19/11/2014 00:00
A falta de confiança na manutenção de regras e marcos regulatórios no país afasta investidores da área de infraestrutura. Ontem, cinco dos nove lotes do terceiro leilão de transmissão de energia realizado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) ficaram sem interessados. O total de investimentos chegou a 57% dos R$ 6,3 bilhões esperados para a rodada. Apesar de ter arrecadado apenas R$ 3,6 bilhões, a agência considerou o resultado da disputa satisfatório.

Os nove lotes ofertados reuniam empreendimentos em oito estados, totalizando uma extensão de 4,7 mil quilômetros de linhas de transmissão, que deveriam acrescentar 8.761 MVA de capacidade de transformação à rede básica do Sistema Interligado Nacional (SIN).

Ficaram sem ofertas os lotes B, C, D, G e I ; com linhas no Pará, em Mato Grosso, em Minas Gerais e no Tocantins. Os três primeiros já haviam sido alvo de leilões anteriores de energia. Além disso, dois dos quatro lotes arrematados foram vencidos com baixo deságio em relação ao limite estabelecido pelo governo federal.

Segundo o diretor da Aneel André Pepitone, o deságio médio do leilão foi de 12,9%, e os lotes que não receberam proposta serão ;alvo de reavaliação da agência; e incluídos no leilão de 2015.

A Eletrosul, do grupo Eletrobras, arrematou o lote A, no Rio Grande do Sul, o maior entre os disputados, com deságio de 14%. Em parceria com a Copel e a espanhola Elecnor, a empresa também venceu o lote E, em Mato Grosso do Sul, oferecendo deságio de 3,5%. Já a Celg Geração e Transmissão ficou com o lote F, com deságio de apenas 0,3%, enquanto a Isolux Projetos e Instalações, do grupo espanhol Isolux Corsán, levou o lote H, com deságio de 0,6%.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação