Crise de asma fatal

Crise de asma fatal

postado em 19/11/2014 00:00
 (foto: Facebook/CB/Reprodução/D.A Press)
(foto: Facebook/CB/Reprodução/D.A Press)

O estudante Marcelo Dino (foto) sofreu uma crise de asma no Colégio Marista (609 Sul) durante aula de educação física, em 13 de fevereiro de 2012. A família do garoto o encaminhou ao Hospital Santa Lúcia, por volta do meio-dia. Os pais contaram aos médicos que o menino possuía asma crônica, usava broncodilatadores e, naquela manhã, havia perdido a consciência enquanto praticava esportes na escola. Ele foi internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) pediátrica, onde o quadro se estabilizou.


De acordo com relato da mãe de Marcelo, a professora da Universidade de Brasília (UnB) Adriana Fonsêca, o filho acordou antes das 5h, tomou banho sozinho e, por mensagem de texto, avisou a colegas que seria liberado naquele dia. Logo depois, sentiu-se indisposto e ela buscou ajuda entre os plantonistas do hospital.


Diante da nova complicação respiratória, os médicos aplicaram broncodilatadores e sedativos e entubaram o paciente duas vezes. Apesar das massagens cardíacas e das injeções de adrenalina, o adolescente morreu por volta das 7h.O Santa Lúcia informou que o óbito decorreu de uma asma fatal ou catastrófica. O laudo da Polícia Civil, porém, indicou que a morte de Marcelo resultou de uma asfixia, devido à falta de aspiração das vias respiratórias.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação