A banalização da propina

A banalização da propina

JOÃO VALADARES
postado em 20/11/2014 00:00
 (foto: Geraldo Bubniak/AGB)
(foto: Geraldo Bubniak/AGB)

Apontado como o operador do PMDB no esquema de corrupção montado na Petrobras, o lobista Fernando Baiano, que se entregou na terça-feira à Polícia Federal, ;faz prospecção de negócios; de acordo com o seu advogado, Mario Oliveira Filho. Em depoimento na Justiça Federal do Paraná, o doleiro Alberto Youssef, um dos líderes da organização criminosa que movimentou R$ 10 bilhões, afirmou que Baiano arrecadava propina para os peemedebistas.

Oliveira Filho minimizou as denúncias e disse que não há obra pública sem ;acerto;. ;O empresário, se porventura, faz alguma composição ilícita com político para pagar alguma coisa, se ele não fizer isso, não tem obra;, afirmou Oliveira Filho. De acordo com o advogado, Baiano desenvolve apenas atividade lícitas. ;Ele é um empresário, proprietário de duas empresas antigas e faz prospecção de negócios. Descobre onde está o problema de uma infraestrutura e vai atrás de solução;, rebateu o advogado.

Em depoimento prestado em outubro, no processo que apura desvios nas obras da Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa também envolveu Fernando Baiano na engrenagem da corrupção desvendada pela Lava-Jato. ;No PMDB, a ligação na Diretoria Internacional, o nome que fazia essa articulação toda se chama Fernando Soares, conhecido como Fernando Baiano;, afirmou.

O lobista deveria ter prestado depoimento ontem, mas a Polícia Federal adiou a ouvida para amanhã. ;O depoimento ficou para sexta, não sei a que horas nem sei o motivo;, informou Mario Oliveira Filho. Ele ressaltou que ;não existe a menor chance; de o seu cliente fechar acordo de delação premiada com a Justiça Federal no âmbito do processo da Operação Lava-Jato.

O advogado salientou, sem entrar em detalhes, que o cliente fechou negócios lícitos com a estatal petrolífera. A defesa nega que ele tenha ligação com qualquer partido político. ;O que percebo é uma ligação equivocada. Alguns dizem que a Diretoria Internacional da Petrobras é do pessoal do PMDB, enquanto outros dizem que é indicação do PT. Como Fernando teve negócios com a área internacional, então ele teria vínculo com o PMDB? Não tem. Se há um operador, não é ele;, assegurou.

O advogado ainda afirmou que Fernando Baiano está disposto a participar de uma acareação com Youssef. ;Uma coisa é ele conhecer um ou outro (do PMDB), que até deve conhecer, mas ter negócios, ser operador, isso aí é o Youssef falando o que quer. Tem que provar;, finalizou. Ontem, o presidente da Câmara, Henrique Alves (PMDB-RN), disse que os depoimentos de Baiano mostrarão que ele não era ligado ao PMDB.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação