Bolsa avança 2,58%

Bolsa avança 2,58%

Simone Kafruni
postado em 20/11/2014 00:00
 (foto: Amr Abdallah Dalsh/Reuters - 10/3/14)
(foto: Amr Abdallah Dalsh/Reuters - 10/3/14)



A informação de que funcionários de gerências e diretorias da Petrobras envolvidos em corrupção estariam sendo demitidos animou o mercado, e a Bolsa de Valores de São Paulo (BM) voltou a subir ontem, com os papéis da petroleira apresentando a primeira alta depois de cinco pregões em queda e recuperando parte das perdas das últimas semanas.

O principal índice da bolsa paulista, o Ibovespa, fechou em alta de 2,58% a 53.402 pontos. As ações preferenciais da Petrobras avançaram 2,65%, cotados a R$ 12,65. Já as ordinárias tiveram alta de 2,68% e terminaram o dia a R$ 12,26. O maior ganho da sessão foi dos papéis da Eletrobras, que subiram 8,37%.

O mercado também voltou a especular com a possibilidade de o ex-presidente do Banco Central Henrique Meirelles ser indicado para o Ministério da Fazenda, o que, além de impulsionar a bolsa, reduziu a tensão no mercado de câmbio, levando o dólar a recuar pelo segundo dia consecutivo, fechando em baixa de 0,54% na cotação de R$ 2,576 para venda.

;A recuperação dos papéis da petroleira está diretamente ligada às demissões. O mercado espera uma limpa na empresa. Ainda assim, o valor das ações está muito baixo. De R$ 50 caíram a R$ 12;, assinalou Jason Vieira, economista do portal de informações financeiras Moneyou.

Na avaliação de Vieira, os pequenos investidores da Petrobras, principalmente aqueles que estão com papéis presos no Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), amargam grandes prejuízos. As condições para retirar a aplicação são vinculadas às regras do FGTS. ;Quem não pôde realizar a venda acumula perdas significativas, mesmo com a pequena alta de hoje (ontem);, disse o especialista.

O mercado foi influenciado ainda pela notícia de que a inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) veio abaixo do esperado. Também ajudou a alta dos pregões europeus. ;O ambiente externo influenciou mais o dólar. A moeda norte-americana recuou no mundo todo com a notícia da recessão no Japão;, explicou o
gerente de Câmbio da corretora Treviso, Reginaldo Galhardo.

Na semana, a queda acumulada da moeda norte-americana é de 0,96%. No mês e no ano, a divisa ainda mostra valorização de 3,91% e de 9,26%, respectivamente. ;O mercado está bastante especulativo porque, a cada dia, surgem novos nomes de possíveis ministros;, acrescentou Galhardo.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação