Paulo Gustavo na pele delas

Paulo Gustavo na pele delas

O ator invade Brasília, a partir de hoje, com os personagens femininos do programa 220 volts. Agora, nos palcos

Diego Ponce de Leon
postado em 20/11/2014 00:00



Cerca de 14 mil pessoas devem lotar as cinco sessões que ocupam o Centro de Convenções (Eixo Monumental) para ver Paulo Gustavo em 220 volts. E olha que ele fica apenas três dias na cidade, a partir de hoje. Para suprir a demanda, o humorista abriu sessões extras e encara jornada dupla amanhã e sábado, além da apresentação única de logo mais. ;Eu amo teatro, já me acostumei com essa rotina;, comenta, em entrevista ao Correio.

O ator permanece como o nome mais requisitado do entretenimento brasileiro da atualidade, envolvido em diversos projetos no cinema, na televisão e no próprio teatro. O novo espetáculo faz uma concorrida temporada nacional, sempre com ingressos esgotados. E, em Brasília, não será diferente.

A capital federal, inclusive, sempre rende bons momentos ao comediante: ;Estou animadíssimo! Eu amo poder voltar a Brasília! Tenho amigos aí e ótimas lembranças;, diz. Paulo sempre faz questão de lembrar do show da norte-americana Beyoncé, a que ele preferiu assistir no Mané Garrincha. ;A última vez que estive aí foi para ver o show dela;, afirma. Na verdade, ele já esteve aqui depois disso, em fevereiro deste ano, quando apresentou Minha mãe é uma peça, o espetáculo que o consagrou nacionalmente e o levou aos cinemas.

Inspiração
Depois de quase uma década do primeiro sucesso, Paulo afirma que a fonte para o humor continua a mesma: o dia a dia. ;Eu crio meus textos a partir do que observo, do cotidiano. Não existe fórmula. Eu sinto, faço e as pessoas acham graça. É algo natural.;

Ocupado 24 horas por dia, o artista sempre arranja uma maneira de lidar com tudo e todos, algo que ele atribui à própria personalidade: ;Sou hiperativo e faço mil coisas ao mesmo tempo;, admite. Toda essa dinâmica e desenvoltura ajudam na hora de interpretar as várias facetas femininas em 220 volts, terceiro espetáculo que ele traz a Brasília.
Embora a atração principal da semana seja o britânico Paul McCartney, o fluminense Paulo Gustavo não vai deixar barato e promete abalar as estruturas. A corrida pelos ingressos foi parzecida. Quem sabe, da próxima vez, Paulo não encara logo o Mané Garincha. Público não faltaria.



220 volts
Com Paulo Gustavo, Gil Coelho e Christian Monassa. Participação especial de Marcus Majella. No Centro de Convenções Ulysses Guimarães (Eixo Monumental). Hoje, às 21h. Amanhã, às 20 e às 22h30. Sábado, às 19h e às 21h30. Ingressos entre R$25 e R$80 (valores de meia-entrada). Não recomendado para menores de 12 anos.


O ator pediu R$3 mil emprestados para a primeira montagem de Minha mãe é uma peça.
Na época, apresentava-se para 100 pessoas. O novo espetáculo, 220 volts, foi orçado em
R$3 milhões. Em Brasília, serão 2.800 pessoas, a cada sessão.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação