Para enfrentar a chuva

Para enfrentar a chuva

Aquaplanagem, calço hidráulico, falta de visibilidade e problemas com iluminação. Dirigir com pista molhada requer cuidado para manter a segurança do veículo e dos ocupantes, além de evitar prejuízo. Confira as principais dicas para guiar com tranquilidade

» Eduardo Aquino
postado em 20/11/2014 00:00
 (foto: Antonio Cunha/CB/D.A Press - 2/10/14)
(foto: Antonio Cunha/CB/D.A Press - 2/10/14)

As chuvas demoraram, mas chegaram. No entanto, na maioria das vezes, elas estão vindo em forma de pancadas e temporais, pegando os condutores desprevenidos. Nessa condição, o motorista sofre com a redução da visibilidade, que pode causar saída de pista ou batida, e a aquaplanagem, fenômeno que ocorre quando o carro passa sobre uma lâmina de água, fazendo as rodas perderem o contato com o solo. Para manter a segurança quando São Pedro abre as torneiras, deve-se cuidar muito bem da manutenção de alguns itens e dirigir com muita, mas muita atenção. Confira as dicas.


Careca fatal

Chuva e pneus carecas são receita infalível para provocar acidente grave. Os sulcos do pneu são responsáveis pela drenagem da água, garantindo a aderência. Se ele estiver liso, o veículo fica com a estabilidade reduzida e pode derrapar facilmente, até mesmo em curvas feitas em baixa velocidade. Rodar com pneus desgastados (com sulcos abaixo de 1,6mm) também implica multa.

Empenamento


É preciso muito cuidado ao transpor trechos alagados, pois a água pode entrar no motor e provocar o chamado ;calço hidráulico;, cujo conserto é caro e sem garantia. O que ocorre é que a água entra, pelo sistema de captação de ar do motor, na câmara de combustão e no interior dos cilindros. Ao tentar subir, o pistão encontra a enorme resistência da água, que, diferentemente do ar, é pouco compressível. O enorme esforço do pistão provoca o empenamento das bielas, ocasionando o calço hidráulico e, consequentemente, o travamento do motor. Como o reparo geralmente inclui troca de pistões, bielas e válvulas, o serviço é muito caro (dependendo do carro, pode passar dos R$ 10 mil).

Se o motor apagar

Para fugir do ;calço hidráulico; evite passar por locais muito alagados, pois é melhor perder algum tempo do que ter prejuízo. Se realmente tiver que atravessá-lo, engate a segunda marcha e mantenha aceleração média e constante (em torno das 2.500rpm), pois isso vai evitar que a força de aspiração do motor seja muito alta, a ponto de puxar água para dentro dele, e fazer com que o volume de gás expelido pelo propulsor seja suficiente para impedir a entrada de água pelo escapamento. E se o motor apagar durante a travessia, a primeira recomendação é não tentar fazer com que ele funcione (nem no tranco nem na chave), o melhor a fazer é colocar a alavanca de marchas em ponto morto, empurrar o veículo até um local seguro e chamar o reboque, para que seja feita uma análise mais detalhada em uma oficina.


Limpando a área


Se as palhetas do limpador do para-brisa e do vidro traseiro não estiverem em bom estado, o motorista terá muita dificuldade para enxergar sob chuva forte, pois elas não vão remover corretamente a água. Geralmente, as palhetas costumam durar cerca de um ou, no máximo, dois anos, e devem ser substituídas aos pares, mesmo que uma esteja em melhor estado do que a outra. Na hora da compra, deve-se ter o cuidado de ler com atenção a embalagem, verificando o código e a lista de veículos a que se destina o jogo, pois costumam mudar de ano para ano, mesmo sem alterações no vidro. A substituição é simples e pode ser feita por qualquer motorista com uma chave de fenda pequena.

Reservatório

É fundamental abastecer o reservatório do limpador do para-brisa e do vidro traseiro, que geralmente fica no compartimento do motor. Ainda tem motorista que insiste em abastecê-lo com uma mistura de água e detergente comum. Isso ataca a pintura e a própria borracha da palheta. Existem produtos específicos para essa função, que removem com eficiência toda a sujeira que vem da pista (óleo, areia, barro etc.).

Iluminação

Os faróis devem estar sempre regulados, faça chuva ou sol. Quando começar a chover, o motorista deve acender os faróis baixos, mesmo durante o dia. Ao parar em um posto, ele deve limpá-los, pois a sujeira reduz de forma significativa a sua capacidade de iluminação, além de alterar a trajetória dos feixes.

Distância

Nessa condição de piso molhado, é fundamental lembrar que é necessária uma distância maior para o carro parar. Se ele não tiver ABS, então; Por isso, lembre-se de reduzir a velocidade e pisar no freio bem antes, senão você pode ;dar com os burros n;água;.



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação