Advogados veem falhas no processo

Advogados veem falhas no processo

postado em 26/11/2014 00:00



Horas após o grande júri de Saint Louis anunciar que não indiciará o policial Darren Wilson pela morte de Michael Brown, o procurador Robert McCulloch divulgou a íntegra de documentos que serviram de base para a decisão, incluindo transcrições de depoimentos, relatórios e fotos do exame necrológico. Ao todo, foram disponibilizados 24 volumes, relativos aos 23 encontros que o júri promoveu entre 20 de agosto e 21 de novembro.

Em pronunciamento à imprensa, os advogados Anthony Gray e Benjamin Crump afirmaram que os documentos mostraram que o processo júri era falho. ;Um estudante do primeiro ano de direito teria feito melhor que o procurador McCulloch;, criticou Crump.

Segundo Gray, o depoimento de Wilson não se coaduna com evidências forenses. Embora imagens do exame médico mostrem que o policial apresentava ferimentos leves ; manchas avermelhadas na pele do rosto e do pescoço e um leve hematoma em uma das faces ;, ele afirmou às autoridades que foi violentamente agredido dentro da viatura oficial. ;Eu já tinha levado dois socos no rosto e pensei que um terceiro poderia ser fatal;, declarou o policial.

Wilson descreveu Brown como um ;demônio; e relatou que o jovem tentou pegar sua arma, motivo pelo qual decidiu disparar. Segundo o policial, o adolescente tentou fugir correndo e uma perseguição a pé foi iniciada. Ele afirmou que, em certo momento, Brown voltou a avançar em sua direção e não parou, apesar dos tiros. Seis dos 12 projéteis disparados por Wilson atingiram o jovem. Testemunhas confirmaram que Brown esteve em contato físico com Wilson pela janela da viatura, mas os relatos divergem sobre o momento da fuga e dos disparos. (GFV)



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação