Menos desigualdade no Brasil

Menos desigualdade no Brasil

» ANA POMPEU
postado em 26/11/2014 00:00
 (foto: Google/Reprodução)
(foto: Google/Reprodução)


Todas as regiões metropolitanas brasileiras têm localidades com Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) muito alto (de 0,800 até 1) e nenhuma na faixa das piores taxas. Em 2000, por exemplo, 39% das Unidades de Desenvolvimento Humano (UDHs) do país estavam nas faixas mais baixas do IDHM. Em 2010, 2% estavam na categoria baixa e não existiam mais representantes na pior pontuação.

Com a queda na desigualdade geral, as disparidades entre as regiões do norte e do sul do país não são mais tão evidentes (leia Pelo país). Ainda assim, as diferenças intramunicipais continuam significativas. Na visão dos pesquisadores, o relatório colabora para corrigir preconceitos ao indicar que, internamente, as metrópoles brasileiras e os entornos delas têm características semelhantes.



O espaço entre o maior e o menor IDHM ; São Paulo e Manaus ; também diminuiu, passando de 22,1%, em 2000, para 10,3%, em 2010. O maior vão na área de educação foi encontrado entre São Luís e Manaus. Foi 0,737 contra 0,404 ponto de diferença entre o melhor e o menor desempenho em 2010. A variação entre as duas regiões metropolitanas ficou em 15,9%, o que representou uma queda em relação ao encontrado em 2000. Naquele Censo, a diferença entre elas era de 43%.

O representante-residente do Pnud e coordenador do Sistema ONU no Brasil, Jorge Chediek, avalia que o documento pode se tornar instrumento para aprimoramento de políticas públicas. ;As disparidades são muito altas ainda. Em todas as regiões intramunicipais, existem áreas comparáveis a países da Europa e outras com níveis muito baixos. O esforço para promover a redução das desigualdades dentro das regiões metropolitanas se faz necessário;, afirma. Ainda assim, ele acrescenta que a tendência no país é de queda.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação