Separadas pelo clássico

Separadas pelo clássico

postado em 26/11/2014 00:00


As estudantes Laura e Luíza Helena de Araújo, 14 anos, são gêmeas idênticas e com uma grande paixão em comum: o golfe. Mesmo com dificuldades financeiras para praticar a modalidade, elas viajam pelo Brasil e pelo exterior na disputa de campeonatos. No início do mês, Luíza ganhou o 1; Aberto de Golfe de Goiânia. No último domingo, faturou também a sexta etapa do Torneio Nacional Juvenil, em Brasília. A irmã não disputou as competições porque está em recuperação de lesão.

Radicadas na capital federal, as gêmeas são de Minas Gerais. E foi com os parentes de lá que elas aprenderam a gostar também de futebol. Na modalidade, porém, as duas são rivais. Laura torce pelo Atlético-MG, enquanto Luíza é fã do Cruzeiro. Portanto, uma estará contra a outra hoje, na decisão do título da Copa do Brasil.

Na hora do jogo, as duas prometem evitar provocações. ;Vamos tentar não comemorar demais uma perto da outra. É assim que a gente faz para não dar briga;, brinca a cruzeirense Luiza, que comemorou no domingo o título brasileiro. Ela jura que a irmã atleticana também ficou feliz com o resultado. ;A gente torce pelos times de Minas Gerais. Só tem rivalidade quando os nossos clubes jogam um contra o outro;, explica Laura, que pode ser a campeã da vez na noite de hoje.

O Galo leva vantagem por ter vencido o primeiro duelo por 2 x 0, mas Laura prefere quando a situação está adversa para o alvinegro. ;Eu gosto justamente da capacidade do Atlético de ganhar jogos impossíveis, como o 4 x 1 contra o Flamengo nas semifinais;, comenta. Um dos momentos mais especiais da torcedora foi a conquista da Libertadores, no ano passado, após vitória no Mineirão sobre o Olimpia (PAR) nos pênaltis. ;Nada vem fácil para a gente.;

A escolha dos times pelas meninas aconteceu quando elas tinham por volta de 6 anos, com influência total da família mineira por parte da mãe, Elizabeth Araújo ; o pai torce pelo Fluminense. ;Metade é atleticana e a outra, cruzeirense. Uns tios influenciavam uma a torcer pelo Galo e outros, pela Raposa;, relembra.

Elizabeth sabe como é ter rivalidades de times entre parentes próximos. Filha de atleticanos, escolheu o Cruzeiro por causa da avó, com quem conviveu muito na infância. ;Até tem muita piadinha, mas todos se respeitam bem, sem nada muito agressivo;, ressalta.

Independentemente do resultado, a noite será de festa. Como o Cruzeiro venceu o Campeonato Brasileiro e tem pela frente a missão complicada de conseguir a virada, Laura admite que também pode comemorar uma vitória atleticana. ;O mais importante é que um de nossos times sairá vencedor;, decreta.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação