Vítimas do 7 x 1 trocam farpas

Vítimas do 7 x 1 trocam farpas

postado em 02/12/2014 00:00
 (foto: Vanderlei Almeida/AFP-28/5/2014 )
(foto: Vanderlei Almeida/AFP-28/5/2014 )

Cinco meses depois do maior vexame da história da Seleção Brasileira ; a humilhação de
7 x 1 diante da Alemanha na semifinal da Copa ;, o coodenador técnico Carlos Alberto Parreira aparenta ser o único que entendeu a gravidade da catástrofe. Enquanto o coordenador técnico no Mundial defendia um choque de gestão em no 1; Fórum de Técnicos, em Itu (SP), Luiz Felipe Scolari enchia a bola para dizer que teve um ano positivo e era ironizado pelo presidente eleito da CBF, Marco Polo del Nero.

Em Itu, Parreira acusou o golpe pela primeira vez. ;Ainda temos qualidade. Somos os melhores nisso. Mas é algo que precisa ser trabalhado. Só talento não basta. Deve haver um choque de gestão dentro e fora de campo, com capacitação de treinadores, melhores condições de trabalho e investimento nas categorias de base;, disse o técnico aposentado.

Enquanto isso, Felipão vive em um mundo à parte. Depois da derrota por 1 x 0 para o Bahia, no domingo, ex-técnico da Seleção fez um balanço do ano em que perdeu por 7 x 1 para a Alemanha e não levou o Grêmio à Libertadores. ;O melhor sentimento possível (sobre este ano). Ninguém destrói alguém por participar de uma Copa. De Copa do Mundo só participa quem é bom, quem tem qualidade, participei de três (campeão com o Brasil em 2002, quarto lugar com Portugal e Brasil, em 2006 e 2014). Não tenho nada que ficar preocupado com 2014. A minha vida segue, com muita garra. Disputei a Copa do Mundo, tive meu primeiro neto... Tive situações não favoráveis, mas que me fizeram crescer como pessoa. Só tenho que agradecer por viver tudo o que vivi em 2014;, afirmou.

Del Nero x Felipão
Acusado por Felipão de promover um complô contra a classificação dos clubes gaúchos para a Libertadores, o presidente eleito da CBF, Marco Polo del Nero, ironizou o ex-técnico da Seleção. ;Ele sabe como trabalha (a CBF). É um chororô do senhor Luiz Felipe Scolari. Faltou planejamento, capacidade. Aliás: faltou treinamento. Nós temos de reciclar. Eles têm de se preparar melhor. Atentarem que o mundo mudou, que o futebol no Brasil mudou, que a transparência existe;, ironizou.

Negócio da China
Felipão disse, ontem, ter recusado uma oferta do futebol chinês para assumir o Shanghai Shenhua. A diretoria do Grêmio avisou que o treinador disse não e preferiu permanecer no Grêmio.

Só talento não basta. Deve haver um choque de gestão dentro e fora de campo;
Carlos Alberto Parreira, ex-coordenador técnico da Seleção

De Copa do Mundo só participa quem é bom, quem tem qualidade, participei
de três;
Felipão, técnico do Grêmio




Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação