Corrupção na Infraero

Corrupção na Infraero

postado em 04/12/2014 00:00
O executivo Augusto Mendonça também afirmou à PF que houve pagamentos de propina para o ex-presidente da Infraero Carlos Wilson, falecido deputado do PT de Pernambuco, em uma obra no Aeroporto de Brasília. Ele disse que obteve essa informação de um acionista da construtora Beter do qual não se recorda o nome. A PEM, empresa de Mendonça, prestava serviços de instalações elétricas para a empreiteira desde 2002, ainda no governo Fernando Henrique Cardoso (PSDB). Mendonça disse que lhe pediram um desconto para a Beter poder bancar a ;comissão; de Carlos Wilson, que dirigiu a Infraero no primeiro mandato do governo Lula, entre 2003 e 2006. Mendonça afirma que a estatal fez ;na época um grande pacote de obras;.

Carlos Wilson morreu de câncer em 2009. A Infraero disse ao Correio desconhecer a acusação. A Better está em recuperação judicial desde 2008. Diretores da empreiteira pediram o anonimato e afirmaram ao jornal que a acusação é improcedente porque a PEM terminou cerca de 95% da obra já no governo FHC e não faria sentido pedir desconto de um projeto praticamente pronto e já pago. (EM)

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação