A bela é fera

A bela é fera

Enquanto treinam forte para buscar a recuperação no Torneio Internacional, diante do Brasil, norte-americanas estão na expectativa de conhecer melhor Brasília e, principalmente, dar uma esticadinha ao Rio de Janeiro

RODRIGO ANTONELLI e MAÍRA NUNES ESPECIAL PARA O CORREIO
postado em 13/12/2014 00:00
 (foto: Antonio Cunha/CB/D.A Press
)
(foto: Antonio Cunha/CB/D.A Press )

Pressionada após o empate contra a China, na estreia no Torneio Internacional de futebol feminino, a seleção dos Estados Unidos treina forte para melhorar o entrosamento. O objetivo imediato é vencer o Brasil, amanhã, pela segunda rodada, e compensar os pontos perdidos. O foco na partida pôde ser dimensionado na atividade de ontem do grupo no CT do Corpo de Bombeiros. A técnica, Jill Ellis, impediu fotos e filmagem durante boa parte dos trabalhos. Muito exigidas, as jogadoras tiveram pouco tempo até para conhecer a cidade.

;Ficamos mais concentradas no hotel. Saímos para jantar duas noites, mas só. Hoje (ontem) ou amanhã (hoje), acho que vamos fazer um passeio de barco e conhecer o lago;, contou a atacante-musa Alex Morgan, em entrevista exclusiva ao Correio. ;Depois do torneio, é possível que visitemos o Rio de Janeiro, por um dia só;, emendou, empolgada com a possibilidade de conhecer a praia de Copacabana. Em Brasília, por enquanto, o que mais a deixou satisfeita foi a comida. ;Tudo é ótimo, e as frutas são frescas;, riu.

Enquanto o momento de descanso não chega, a equipe americana se concentra na competição. O elenco tentará contornar a ausência de Morgan, uma das artilheiras do time. Com lesão no tornozelo, ela desfalcará a seleção por cerca de uma semana. ;Não devo jogar contra o Brasil (amanhã) e nem contra a Argentina, na quarta. Talvez tenha condições para a final, no domingo que vem;, lamentou a atacante. A americana, no entanto, crava na melhora do time no próximo duelo. ;Contra a China, não jogamos todo o nosso potencial, mas ainda podemos mostrar nossa qualidade e estamos trabalhando nos nosso erros para fazer um grande jogo contra o Brasil;, avisou.

De acordo com Morgan, nos últimos dias, a comissão técnica tem passado muitas informações sobre os pontos fortes e fracos da Seleção Brasileira. No treino de ontem, a técnica Jill Ellis insistiu na parte tática. Ela ensaiou muitas jogadas pelos lados do campo, terminando em cruzamento para o centro da área, em busca de Abby Wambach, concorrente de Marta pela Bola de Ouro da Fifa.

;Todo jogo contra o Brasil é uma luta. Então, é uma partida sempre muito legal, cheia de histórias. Por isso, o treino forte torna-se essencial;, avaliou a meio-campista Megan Rapinoe. Para as norte-americanas, o torneio com Brasil, China e Argentina não é apenas amistoso. O grupo considera a competição muito importante na preparação para a Copa do Mundo do ano que vem, no Canadá.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação