Líder da Ucrânia comemora a trégua

Líder da Ucrânia comemora a trégua

Presidente Petro Poroshenko classifica o cessar-fogo de "Creal" e confirma a inexistência de mortos ou feridos nas primeiras 24 horas

postado em 13/12/2014 00:00
 (foto: Parks/AFP)
(foto: Parks/AFP)



O presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko, celebrou, ontem, o primeiro dia de cessar-fogo desde o início do conflito separatista no leste da ex-república soviética. Firmada no começo da semana entre o governo de Kiev e os insurgentes pró-Moscou, a trégua foi classificada pelo mandatário de ;real;. ;Tenho boas notícias. É a primeira noite na qual não se feriu nem morreu qualquer soldado ucraniano;, exaltou Poroshenko. Embora nenhuma hostilidade tenha sido registrada na região durante as últimas 24 horas, o Congresso norte-americano decidiu reforçar as sanções contra a Rússia, acusada de envolvimento na crise.

A trégua acertada entre Kiev e os separatistas da região de Donbass entrou em vigor na terça-feira. ;Vocês não podem imaginar como isso é importante para mim. É a primeira vez que não me informaram a morte ou o ferimento de um soldado ucraniano durante a noite;, festejou Poroshenko, que assumiu o cargo em 7 de junho. Ele reconheceu a vulnerabilidade do cessar-fogo, ante o curto período em que foi respeitado. ;São apenas 24 horas, tudo é muito frágil;, explicou. Apesar de ter manifestado cautela, o presidente pediu a manutenção do armistício, considerada ;um grande passo para a paz e a estabilidade; do país.

O Congresso dos Estados Unidos aprovou novas sanções contra a Rússia, além de um aumento da ajuda militar a Kiev ; a medida prevê o envio de armas letais à Ucrânia. A transferência não deve ser concretizada, pois o presidente Barack Obama se posicionou contra a iniciativa, autorizando o fornecimento de armamentos não mortíferos. Os alvos de Washington serão as empresas militares russas que cederem artigos de defesa à Síria, à Ucrânia, à Geórgia e à Moldávia, sem a autorização dos governos locais. O pacote de embargos prevê restrições à estatal Gazprom, a suspensão de vistos e a exclusão do sistema financeiro dos EUA.

Atividades militares
Na avaliação da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), ;Moscou não está interessado em um diálogo genuíno sobre as atividades militares russas;. A aliança ocidental indicou não haver contatos em nível militar por parte do país, mas que está disposta a dialogar. ;A Otan mantém os canais (de comunicação) abertos;, declarou Oana Lungescu, porta-voz da entidade.


Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação