Morto ao bater carro em árvore

Morto ao bater carro em árvore

Homem de 28 anos não resistiu aos ferimentos depois de perder o controle do carro na L3 Norte. Sem parentes em Brasília, vítima era casada e trabalhava na Câmara dos Deputados

MANOELA ALCÂNTARA THAÍS PARANHOS ROBERTA PINHEIRO
postado em 01/01/2015 00:00
 (foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)

O último dia de 2014 ficou marcado pela violência no trânsito do Distrito Federal. Um homem de 28 anos morreu depois de o carro que dirigia bater em uma árvore na Asa Norte. Ele conduzia o veículo, um Hyundai i30, pela L3 Norte, na altura da Quadra 609/610, quando perdeu o controle do veículo. O Corpo de Bombeiros e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foram chamados, mas a vítima não resistiu aos ferimentos e morreu no local. A batida provocou o fechamento das três faixas da via no sentido Esplanada dos Ministérios.


O acidente aconteceu por volta das 8h. De acordo com informações de agentes do Departamento de Trânsito (Detran) que estiveram no local, Gabriel Birckholz Rocha seguia no sentido Asa Sul. Ele teria atropelado um gato antes de perder o controle do veículo e bater na árvore. O segurança de uma faculdade que fica em frente ao local do acidente, Jaílton Souza, 32 anos, chamou o socorro. ;Os bombeiros chegaram bem rápido e o rapaz ainda estava vivo dentro do carro, preso pelo cinto;, contou. Segundo ele, a tentativa de salvar a vítima durou cerca de 20 minutos.


Jaílton contou que estava do lado de fora da faculdade quando viu um carro passar. ;Logo depois, ouvi um barulho de freada e um estrondo muito forte, corri para ver o que era e vi o carro batido;, relatou. O segurança acompanhou o trabalho de resgate feito pelos bombeiros. Segundo ele, Gabriel foi retirado do carro e, no bolso da calça, havia documentos pessoais e um crachá da Câmara dos Deputados, onde trabalhava.


A esposa, com quem ele era casado havia quatro anos, chegou por volta das 10h40 ao local do acidente, mas não sabia da morte do marido. Ela ficou desesperada e disse não acreditar no que acontecia. Sem forças, a mulher se sentou no meio-fio e não conseguiu levantar. Gabriel não tem parentes em Brasília. A família mora em Santa Catarina. Ele trabalhava na Petrobras e foi transferido para a capital federal.

Memória

23 de outubro
Uma estudante de 18 anos morreu depois que o carro em que estava capotou próximo ao Buraco do Tatu, ao lado da Rodoviária do Plano Piloto. De acordo com o Departamento de Estradas de Rodagem (DER), o veículo capotou pelo menos três vezes e a jovem foi arremessada para fora do veículo. Ela morreu na hora. Ela estudava administração da Universidade de Brasília (UnB) e morava em Taguatinga.

11 de maio
Um acidente envolvendo dois carros terminou com a morte de uma mulher e uma criança na via que dá acesso a Águas Claras, próximo ao Park Way. O motorista de uma Saveiro tinha ingerido bebida alcoólica e estava em alta velocidade quando bateu no outro carro onde estavam as vítimas. A criança chegou a ser levada para o Hospital de Base, mas não resistiu aos ferimentos. O condutor do carro teve duas costelas quebradas e escoriações no rosto. Já o motorista da Saveiro teve escoriações leves e foi levado para a 21; DP.

Reboque

O corpo da mulher morta na tarde de terça-feira após ser prensada por um reboque que se desprendeu de uma caminhonete, na L2 Norte, ainda não foi liberado pelo Instituto de Medicina Legal (IML). Na manhã de ontem, parentes de Francisca Virgínia, 59 anos, estiveram no IML, mas não quiserem falar com a imprensa. A 2; Delegacia de Polícia (Asa Norte) investiga o caso.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação