Momento excepcional

Momento excepcional

Erling Söderström* Especial para o Correio
postado em 12/01/2015 00:00

;Durante 30 anos trabalhando como jornalista, eu nunca vi uma assembleia de união e de expressão popular tão forte neste país. Foi impressionante e excepcional. Acho que foi maior que as revoltas de 1968. Foi um momento de união em torno de valores essenciais, com os quais todos os franceses podem se identificar. E foi especial para mim, que tenho um amigo que trabalhava para a Charlie Hebdo. Ele (Patrick Pelloux) chegou atrasado para a reunião de pauta e, por isso, sobreviveu. Nunca vi todos os franceses vindo ao centro como hoje. Todos caminharam por espaços que representam símbolos importantes. A manifestação começou na Praça da República para defender os valores republicanos. Em seguida, passou pelo Boulevard de Voltaire (escritor iluminista), em referência àquele que disse: ;Detesto suas opiniões, mas vou defender com a vida o seu direito a expressá-las;. E chegamos, finalmente, à Praça da Nação.;

*Erling S;derstr;m é jornalista sueco radicado na França

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação