Caixa-preta do Airbus é localizada na Indonésia

Caixa-preta do Airbus é localizada na Indonésia

postado em 12/01/2015 00:00
 (foto: AFP
)
(foto: AFP )

Mergulhadores indonésios encontraram ontem a caixa-preta (dispositivo que possui gravações do voo) do avião da AirAsia, que caiu no mar matando 162 pessoas. Segundo informações do Ministério do Transporte, e equipamento permanece no fundo do mar porque está preso sob os destroços da fuselagem a cerca de 30 metros de profundidade. Hoje, e equipe de resgate tentará mudar os destroços de posição para chegar à caixa-preta.

Depois de duas semanas de buscas infrutíferas pelo equipamento, devido ao mau tempo, autoridades reacenderam as esperanças de encontrá-la ao reportar a detecção de fortes sinais eletrônicos pelos três navios envolvidos nas buscas no Mar de Java, segundo S.B Supriyadi, diretor da Agência Nacional de Busca e Resgate. Participam das buscas embarcações de Estados Unidos, China e outros países.

Os sinais foram localizados a menos de um quilômetro de onde a cauda do avião foi achada, mas Supriyadi explicou que as fortes correntes da região atrapalharam o trabalho dos mergulhadores militares e eles tiveram de interromper seus esforços antes de tentar chegar até o ponto.

Mais cedo, Supriyadi explicou a jornalistas que um objeto que se acredita ser o fuselagem principal do avião também tinha sido detectado perto da fonte dos sinais. Segundo o funcionário, a maioria dos corpos deve estar presa na cabine, portanto, chegar até essa parte dos destroços era uma prioridade máxima. Quarenta e oito mortos já foram resgatados.

Segundo a Agência Meteorológica indonésia, foi uma forte tempestade que ocasionou a queda do A320 durante o voo entre a cidade indonésia de Surabaya e Cingapura. A confirmação, no entanto, só poderá ser dada quando as caixas-pretas forem analisadas. Ao contrário do que esperavam os especialistas, os gravadores de bordo não se encontravam na cauda do avião.

Histórico
O voo QZ8501 da AirAsia partiu da Indonésia e tinha como destino Cingapura, ele desapareceu dos radares 40 minutos após a decolagem. O piloto do airbus chegou a pedir para torre de controle autorização para fazer um desvio à esquerda na rota e subir de 32 mil para 38 mil pés, para fugir de uma tempestade na região, mas a elevação não foi permitida já que uma outra aeronave sobrevoava na mesma altitude requisitada. Após alguns minutos, os controladores de voo tentaram entrar em contato com o avião para informar que ele estava autorizado a subir apenas para 34 mil pés, porém não obtiveram respostas.

As autoridades levantam a hipótese de que a filial da companhia malaia guiou o avião por um corredor de voo sem autorização. Por conta da suspeita, até o fim da investigação a companhia está suspensa de utilizar o corredor Surabaya-Cingapura. O Ministério do Transporte da Indonésia informou que a companhia só possuía permissão para voar na rota as segundas, terças, quintas e sábados, e o voo decolou em um domingo. A informação fez com que seguradoras começassem a entrar com pedidos de indenizações para familiares dos passageiros que estavam na aeronave que caiu.

Estavam a bordo do airbus 155 indonésios, três sul-coreanos, um britânico, um francês, um malaio e um cidadão de Cingapura. Até o momento, foram recuperados nas buscas cerca de 48 corpos, quatro deles encontrados na última sexta-feira. Supriyadi declarou à imprensa que as equipes estão focadas em encontrar a seção principal de fuselagem, onde estariam a maior parte dos corpos. ;Isto é o que as famílias esperam. Os parentes já choram por 14 dias.;

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação