Grita do consumidor

Grita do consumidor

postado em 12/01/2015 00:00



TIM
Falta de preparo

; Carlos Souza
Lago Norte

Em 8 de dezembro, o leitor Carlos Souza ligou na TIM com o objetivo de aderir ao Plano Controle WhatsApp. ;Fiz a ligação às 10h. Desde então, não consegui contratar o serviço porque todos os atendentes não sabiam como fazer o plano com o pagamento em cartão de crédito;, reclama. Ele conta que, em momentos diferentes, ficou até a 1h tentando realizar a compra e que, a todo momento, recebia uma informação diferente sobre o caso. ;Parecia que todos os atendentes da TIM não trabalhavam na mesma empresa. A falta de preparo da operadora ficou evidente. Não pensaram que tamanha divulgação do plano repercutiria e não prepararam os funcionários para o atendimento;, queixa-se.

Resposta da empresa
A TIM, por meio da assessoria de Comunicação, informa que o Centro de Relacionamento com o Cliente entrou em contato com Carlos Souza para realizar a sua adesão ao Controle WhatsApp, mas ele já havia conseguido. Para mais informações sobre a operadora, basta acessar o site da empresa (www.tim.com.br) ou entrar em contato com o Centro de Relacionamento com o Cliente discando *144 do próprio celular ou 1056 de qualquer telefone.

Comentário do consumidor
Até o fechamento desta edição, o leitor não foi localizado pela equipe do Grita do Consumidor para comentar o caso.



; AUTOESCOLA SAFETY CAR
Sem aulas e sem dinheiro

; Brenda Maria Ferreira Marques
Park Way

A moradora do Park Way Brenda Maria Ferreira Marques estava prestes a completar o curso de direção e obter a CNH. A leitora havia feito as aulas teóricas e pagado as aulas práticas, mas, quando chegou a hora de marcar a primeira aula, não conseguiu. Não havia nenhum horário disponível. O problema persistiu durante algum tempo, até que Brenda cansou de esperar pela agenda da autoescola Safety Car e decidiu fazer as aulas práticas em outro local. Antes de sair, porém, a leitora conversou com funcionários do estabelecimento, que entenderam a decisão e aceitaram ressarcir a cliente do valor investido nas aulas práticas. Em princípio, a devolução seria feita em 30 dias. O tempo de espera foi tão longo que a leitora se matriculou em outra autoescola, fez aulas e a prova do Detran, conseguiu a habilitação, mas ainda não recebeu o dinheiro de volta. Em busca de uma solução, ela denunciou a autoescola no Procon.

Resposta da empresa

A equipe do Grita do Consumidor entrou em contato com a empresa por diversas vezes, mas não obteve resposta oficial até o fechamento desta edição.

Comentário da consumidora
;Eles não entraram em contato e não responderam e-mails. Nem o Procon conseguiu resolver a situação. Entramos com processo no Juizado de Pequenas Causas e aguardamos a audiência, que será em março. É muito descaso. Espero que, pessoalmente, eles consigam resolver algo e finalmente devolver o dinheiro que investi.;



; VIVO
Dificuldade
para pagar a dívida

; André Luiz Pereira da Fonseca
Lago Sul

O leitor André Luiz Pereira da Fonseca morava em São Paulo quando firmou um contrato de telefonia fixa com a Vivo. Isso aconteceu há mais ou menos seis anos. Fonseca se separou da mulher e veio morar em Brasília, mas a conta na capital paulista ficou no nome dele. Há algum tempo, descobriu que um débito estava em aberto e que o nome dele fora enviado à Serasa. O consumidor conta que entrou em contato com a Vivo, para receber a cobrança e quitar a dívida, mas foi informado de que não constava nenhuma pendência em seu nome. Para provar que havia uma dívida, Fonseca conseguiu um documento na Serasa indicado o contrário. E que era por causa do tal débito, de R$ 78, da empresa telefônica. Há mais de 30 dias André Luiz está nessa situação.

Resposta da empresa
A Telefônica Vivo, por meio da assessoria de Comunicação, informa que cancelou a cobrança e que não há pendência com a operadora em nome de André Luiz Pereira da Fonseca. A empresa providenciou a exclusão do nome do cliente nos órgãos de proteção ao crédito. E pede desculpas pelos possíveis transtornos. A Telefônica Vivo mantém à disposição de seus clientes suas Centrais de Atendimento por meio do *8486 (ligações por celular), do 1058 (do fixo para informações da linha móvel ou da fixa) e do 10315 para clientes da telefonia fixa São Paulo. A ligação é gratuita. O serviço funciona 24 horas nos sete dias da semana. Além do site www.vivo.com.br (fixo São Paulo e móvel).

Comentário do consumidor

;Eles me ligaram, alegaram que cometeram um equívoco, pediram desculpas e assumiram legalmente o erro.;



; C
Cadê o cartão?

; Amadeu Rodrigues da Silva
Santa Maria

O leitor Amadeu Rodrigues da Silva resolveu fazer um cartão na C. O leitor, porém, diz nunca ter recebido o cartão em sua casa. Mesmo assim, para a surpresa dele, recebeu uma cobrança com o valor de R$ 3 mil. Além de nunca ter usado o cartão, o limite é de menos de R$ 1 mil por mês, ou seja, não seria possível o cartão ter acumulado tanto. Ao ligar para a C,
a cobrança foi confirmada. Amadeu explicou a situação, e a loja informou que investigaria o caso, mas não recebeu uma resposta. Pelo contrário, a C continua enviando cobranças, que, agora, passam de R$ 9 mil. Recentemente, Amadeu recebeu um informativo avisando que o nome dele seria enviado para a Serasa, caso não pagasse o valor devido. Para dar mais celeridade ao caso, ele registrou uma reclamação no Instituto de Defesa do Consumidor (Procon-DF) e agora espera uma solução.

Resposta da empresa

A C, por meio da assessoria de Comunicação, informou que o problema não poderá ser resolvido, pois o reclamante não quer passar os dados pessoais para a empresa. Como se trata de uma reclamação relacionada ao Cartão C, a companhia explica que é imprescindível saber o número do CPF do cliente para resolver a questão.

Comentário do consumidor
;Entrei com um processo no Procon e entrarei na Justiça, mas não vou colaborar com uma empresa que não colabora comigo. Recuso-me. Vou resolver de outra forma.;



; EXTRA
Presente não entregue

; Taliton Oliveira
Gama
Em 23 de novembro, o leitor Taliton Oliveira comprou um aparelho celular Nokia no site do Extra, o extra.com, para presentear uma pessoa querida. ;Disseram que seria entregue em 9 de dezembro, data perfeita para o aniversário;, conta. Ele explica que, segundo o site, o pedido

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação