Brasília-DF

Brasília-DF

por Denise Rothenburg deniserothenburg.df@dabr.com.br
postado em 24/01/2015 00:00

Um partido em suspense
As notícias que ligam as consultorias de José Dirceu às propinas pagas como parte do esquema da Petrobras deixaram o PT como aquele personagem que não pode se mexer. Se defender demais o ex-ministro da Casa Civil, deixará irada a ala do partido que trabalha para se blindar dos malfeitos do período do mensalão. Se não defender aquele que foi sempre fiel ao ex-presidente Lula, a ala ligada ao ex-ministro ficará ainda mais frustrada.
; ; ;
A propósito, Dirceu já fez chegar a todos os interessados que não voltará para a cadeia e, se tiver que ir, não irá sozinho. Nesse sentido, há quem esteja meio intrigado com o silêncio de Lula. Desde a posse, o ex-presidente não se manifesta. Espera-se que quebre esse gelo no aniversário do PT, em 6 de fevereiro, em Belo Horizonte.

Escalão a conta-gotas
A presidente Dilma Rousseff decidiu não preencher os cargos de segundo escalão numa lapada só. A amigos, tem dito que, se fizesse isso, perderia o melhor momento dos partidos, que é aquele em que todos têm expectativa de poder. Faz sentido.

Jogada ensaiada
Certo de que estará no segundo turno na eleição para presidente da Câmara, o deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP) anunciou voto em favor de Julio Delgado se estiver fora da final com o objetivo de tentar angariar os votos dos socialistas. Aposta em especial na ala do PSB que deseja se aproximar do governo Dilma Rousseff.

Enquanto isso, no Senado;
O PT se apresenta conformado com a proposta de reeleição de Renan Calheiros (PMDB-AL) para presidir a Casa. Em conversas reservadas, senadores do partido dizem que o melhor ali é se preparar para, se Renan tiver qualquer problema, ocupar o lugar. Isso significa que não será no meio petista que a oposição conseguirá encontrar respaldo para derrubar a perspectiva de o peemedebista alagoano comandar o Senado por mais dois anos.

O que é bom para os gringos;
;Nem sempre é bom para os brasileiros. O mesmo gás de folhelho (vulgo, gás de xisto) que ajudou a tirar os Estados Unidos do atoleiro teve a exploração suspensa por uma liminar do juiz 5; Vara de Presidente Prudente há dois dias até que se tenha estudos ambientais sobre a técnica usada para a exploração. A tecnologia de extração traz riscos de contaminação da água e do solo. Em tempo de escassez de água, todo cuidado é pouco.


CURTIDAS

Até eles/ Ontem faltou água no Senado. É. Pois é.

Ah, bom/ O ministro Arthur Chioro pediu que a assessoria entrasse em contato com a coluna para esclarecer que foi de avião da FAB até o Guarujá porque a casa dele é em Santos, o município vizinho. Ele só vai a Congonhas quando divide o uso do jatinho com outros ministros. Menos mal.



De volta/ O ex-governador Agnelo Queiroz está recolhido, esperando a tempestade passar, mas o ex-vice-governador Tadeu Fillippeli (foto), do PMDB, não pretende sair de cena tão cedo. A ideia é aproveitar os próximos três anos para preparar uma carreira solo em 2018.

Olha a silhueta/ Deputados e senadores faziam planos de dieta no fim de semana. É que, a partir de segunda-feira, eles voltam a Brasília para preparar a retomada dos trabalhos na Câmara e no Senado. E cada partido prepara um jantar para receber os seus.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação