Rastro de destruição pelo DF

Rastro de destruição pelo DF

Buracos, queda de árvores e de muro, veículos danificados, uma unidade de saúde interditada e interrupções de energia foram algumas das consequências da chuva de quinta-feira. Defesa Civil foi às ruas para avaliar os riscos

» ISA STACCIARINI
postado em 24/01/2015 00:00
 (foto: Breno Fortes/CB/D.A Press)
(foto: Breno Fortes/CB/D.A Press)




A forte chuva que atingiu o Distrito Federal na quinta-feira provocou estragos. Moradores de Águas Claras, Taguatinga, Ceilândia, Estrutural e Plano Piloto, entre outras regiões, contabilizam os prejuízos. Por causa do temporal, equipes da Defesa Civil estiveram nas ruas para avaliar os riscos à população. Houve interdições, e uma unidade de saúde em Taguatinga teve o funcionamento interrompido até segunda-feira. Ontem, representantes do Metrô-DF reuniram-se para evitar instabilidade nos serviços, como aconteceu na quinta-feira. O sistema registrou pane e um trem apresentou curto-circuito do motor, com três explosões.

Em Águas Claras, a destruição ficou evidente nas ruas. Um muro que divide o Maggiore Shopping e uma igreja, na Avenida Araucárias, rachou e ficou comprometido. Uma área de 10 metros no estacionamento foi interditada. Técnicos da Defesa Civil constataram risco de desabamento. O engenheiro civil e de segurança do condomínio comercial, Giovane Veloso, explicou que, há dois anos, a proteção teve de ser refeita após episódio semelhante. Desta vez, ele estima gastar cerca de R$ 200 mil para recompor a estrutura. O comerciante Ozemar Oliveira, 48 anos, tem uma loja de informática no shopping e lamentou a situação. ;Essa é uma estrutura mal-feita, erguida de maneira provisória e insegura. A chuva é só mais um problema. Existem quedas de pastilha e o perigo é de desabamento;, ressaltou.

Nos fundos do estacionamento do condomínio Top Life Club & Residence, na Avenida das Castanheiras, uma mureta cedeu e caiu sobre dois carros estacionados. Na manhã de ontem, a movimentação no prédio era de engenheiros e técnicos para avaliar a estrutura. ;O desabamento ocorre porque chove, o solo fica mais pesado e fraco, além de espesso, e, quando isso acontece, gera uma força horizontal sobre muros de contenção. Não deu tempo da água escoar;, esclareceu o professor de engenharia civil da Universidade de Brasília (UnB) Dikran Berberian.

Interdição

Em Taguatinga, houve registro de queda de outdoor na subida do Jockey Club de Brasília e uma árvore tombou na avenida Samdu Norte. A Unidade de Saúde Mista de Taguatinga, na C-12, teve de ser interditada. Houve infiltração de água pelo teto e nas laterais, segundo a Defesa Civil. O órgão interrompeu os atendimentos no local até segunda-feira, quando haverá reunião entre a pasta, equipes de engenharia da Secretaria de Saúde e da Novacap.

Segundo o subsecretário de Defesa Civil, coronel Sérgio Bezerra, o espaço oferece risco de choque elétrico no subsolo e no térreo. ;Muita criança é atendida no local, e a situação expõe os pacientes em risco. É necessária a correção da impermeabilidade do teto, porque a água, inclusive, caía na luminária. Também é preciso correção no sistema de drenagem na lateral, uma vez que há risco de desabamento da área externa;, disse Bezerra.

A manicure Conceição Martins, 48 anos, foi até a unidade com o filho Walcleyderson Martins, 23, pegar o resultado do hemograma do jovem, que tem esquizofrenia. Eles saíram de Ceilândia e, quando chegaram ao local, se surpreenderam com as portas fechadas. ;Essa situação é muito difícil, porque precisava do exame do meu filho até para saber se os remédios estão fazendo efeito. Ele toma quatro comprimidos por dia e, desse jeito, o tratamento fica interrompido;, lamentou. A Secretaria de Saúde garantiu que todos os atendimentos suspensos serão encaixados na próxima semana.

No Setor Habitacional Sol Nascente, uma cratera surgiu na Avenida P1, com 5 metros de profundidade e 4 de largura. A Defesa Civil isolou a área. Será necessária reconstrução de drenagem, além de aterramento do buraco.

Lago Sul

A instabilidade da energia elétrica afetou moradores da QL 22 do Lago Sul. Uma das casas atingidas foi a do advogado José Osvaldo Fiuza, 64 anos. Ele explicou que, na noite de quinta-feira, um raio caiu na região. Na residência dele, havia energia apenas em alguns cômodos. ;Diziam que não tinham previsão para voltar à normalidade. O micro-ondas estava sem luz, algumas lâmpadas não acendiam. O freezer ficou desligado. A energia retornou às 15h45 de hoje (ontem). O prejuízo é enorme e essa situação, lamentável;, disse.

Segundo a CEB, uma das fases de energia pode ter caído na rua do advogado em razão da descarga elétrica. A empresa justifica a demora na resolução do problema pela alta demanda de serviços desde quinta-feira à noite. Foram registrados 700 chamados até as 10h de ontem.

O Metrô-DF esclareceu que foram adotadas medidas para a melhoria do sistema, como a criação de um núcleo de antecipação de crise, a intensificação da manutenção dos trens e a modernização do sistema.





Estragos

Águas Claras
; Rachadura em muro entre o Maggiore Shopping e uma igreja na Avenida Araucárias
; Queda de muro no condomínio Top Life Club & Residence, na Avenida Castanheiras
; Queda de outdoor na Avenida Araucárias

Noroeste
; Quatro carros alagados Asas Sul e Norte
; Registros de queda de energia
; Alagamentos de tesourinhas, como na da 202 Norte
; Quedas de árvores
; Vítima de raio na 210 Norte

Lago Sul
; Instabilidade de energia elétrica na QL 22 Sudoeste
; Queda de árvores

Taguatinga
; Alagamento na Unidade de Saúde Mista de Taguatinga, na Quadra C-12. O prédio teve de ser interditado
; Queda de outdoor na subida do Jockey Club de Brasília, na Estrada Parque Taguatinga (EPTG)
; Queda de árvore na avenida Samdu Norte, em Taguatinga Norte

Estrutural
; Ruas alagadas na Chácara Santa Luzia

Ceilândia
; Abertura de cratera de 5 m

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação