Eleição foi conturbada

Eleição foi conturbada

postado em 24/01/2015 00:00
No último dia de novembro passado, a Federação Brasiliense de Futebol de Salão (Febrasa) elegeu a nova presidência. Três dias antes, a Fut Art pediu a Weber Magalhães, ainda mandatário, a impugnação da chapa Novo Futsal Brasília, de Arati Antunes. No documento, a equipe filiada justifica o pedido listando problemas como a não elaboração e aprovação de regulamento e edital para a eleição. Também não foram verificadas, segundo a Fut Art, obrigações financeiras de associados. Há ainda relatos de que não havia uma urna, mas uma caixa de sapato para o depósito de votos.

Aqui começam os ataques a Arati, eleito por 8 x 2 (a AJJR, suspensa, não pôde votar). A oposição alega que ele não poderia se candidatar porque não prestou contas da época em que ocupava o cargo de superintendente Operacional e Financeiro. ;Não é verdade. Essa prestação é feita sempre no ano seguinte a respeito do ano anterior. Eu tenho até março para isso;, defende-se Arati.

Em iniciativas separadas, AJJR, Fut Art e Cresspom foram ao Tribunal de Justiça do DF e Territórios para contestar a eleição de novembro. Os processos ainda estão em tramitação.

Trabalhadores

Funcionários da Febrasa também apelam aos tribunais. Os salários, há meses, são creditados com atraso. Os contratos de alguns trabalhadores estão suspensos porque eles foram à Justiça do Trabalho em busca de direitos como a segunda parcela do 13; e férias vencidas.

Arati Antunes, presidente da Febrasa, teria tentado demitir os empregados por justa causa. ;Os funcionários abandonaram a federação;, diz Arati. Até agora, somente uma das audiências para tratar do tema foi marcada.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação