Seleção passa sufoco, mas se classifica

Seleção passa sufoco, mas se classifica

RODRIGO ANTONELLI - Enviado especial *
postado em 24/01/2015 00:00
 (foto: Karim Jaafar/AFP
)
(foto: Karim Jaafar/AFP )

Doha (Catar) ; ;Apagão; é a palavra da moda para justificar os fracassos esportivos do Brasil. Felipão insistiu na tecla após o vexatório 7 x 1 contra a Alemanha, na Copa do Mundo, e os jogadores da Seleção de handebol mostraram que também adotaram o termo, na tentativa de explicar o inexplicável, visto ontem na partida contra o Chile. Em mais de metade do tempo, a equipe verde-amarela esteve perdendo para o fraco conjunto andino, 58; colocado no ranking da modalidade, e quase deixou escapar a classificação para as oitavas de final do Mundial. Ainda assim, os brasileiros levaram a melhor, e a vitória por 30 x 22 assegurou a vaga na segunda etapa da competição.

Os erros de marcação e finalização ficaram em segundo plano nas análises pós-jogo. ;Não sei o que aconteceu, não dá para explicar;, disse o armador Zé Toledo. ;Foi um apagão mesmo.

O importante é que tivemos força para virar a partida e garantir a vaga na próxima fase;, endossou o capitão, Zeba, após o sufoco.

A vantagem de gols só foi obtida nos últimos 10 minutos. A primeira vez em que os brasileiros ficaram à frente no placar foi somente aos 2min40 do segundo tempo, depois de uma bronca do técnico Jordi Ribera nos vestiários. ;Foram dois minutos bem bravos lá embaixo. Depois, paramos para pensar no jogo;, revelou o treinador, que nem sequer deu os 15 minutos de descanso ao time, fazendo-o subir de volta à quadra oito minutos antes para treinar e focar nas finalizações.

Apesar da partida ruim, a equipe insiste que é possível superar a Croácia (3; colocada no último Mundial) amanhã, pelas oitavas de final, e cumprir o objetivo estabelecido antes do início do torneio: avançar às quartas e ficar entre as oito melhores seleções do mundo. ;Mostramos contra Espanha e Eslovênia que podemos jogar de igual para igual com os grandes. A cara desse time é de não desistir. É o jogo das nossas vidas, queremos fazer história, e essa é a chance;, analisa Zeba.

A Croácia venceu os cinco jogos da fase de grupos, marcou 158 gols e sofreu 124. O Brasil, por sua vez, ganhou apenas uma partida, perdeu três, balançou as redes 146 vezes e teve o gol vazado em 143 ocasiões. Além disso, os europeus têm o goleiro de melhor aproveitamento no torneio, Filip Ivic, e um dos artilheiros da competição, Ivan Cupic, com 28 gols.

O repórter viaja a convite da organização do Mundial

"Foi um apagão mesmo. O importante é que tivemos força para virar a partida e garantir nossa vaga na próxima fase;
Zeba, capitão do Brasil, comentando a dificuldade diante dos chilenos

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação