Que país é esse?

Que país é esse?

Tesoureiro do PT e ex-diretor da Petrobras indicado pelo partido são os primeiros suspeitos ligados à sigla denunciados formalmente

EDUARDO MILITÃO
postado em 17/03/2015 00:00
 (foto: Ricardo Borges/Folhapress)
(foto: Ricardo Borges/Folhapress)

Menos de 24 horas depois das manifestações que levaram 1,5 milhão de pessoas às ruas do país no domingo, Dilma Rousseff e o PT não tiveram descanso e sofreram mais um golpe, que abala tanto o governo quanto o partido da presidente. A Polícia Federal e o Ministério Público colocaram o tesoureiro da legenda, João Vaccari Neto, e o ex-diretor de Engenharia da Petrobras Renato Duque ; uma indicação da sigla ; em situações constrangedoras mais uma vez. Às 6h de ontem, a Polícia Federal batia na porta de Duque, no Rio de Janeiro, com uma ordem de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro, após descobrir que o ex-funcionário da petroleira escondia 20,5 milhões de euros (R$ 70 milhões) em Mônaco e conseguiu retirar outra parte de dinheiro de contas na Suíça.

À tarde, o Ministério Público e a PF anunciaram, em entrevista coletiva transmitida ao vivo de Curitiba, que o tesoureiro do partido era denunciado por arrecadar dinheiro para o PT com recursos de propinas na Petrobras. No entanto, ele permaneceu em liberdade. É a primeira denúncia criminal contra pessoas ligadas à estrutura do partido. A entrevista de procuradores e delegados ocorria no mesmo momento em que a presidente Dilma Rousseff aproveitava a sanção do Código de Processo Civil para comentar as manifestações de domingo (leia mais na página 5).

A posição de Duque e Vaccari no esquema de corrupção é sensível para o PT. De acordo com os depoimentos de delatores e os documentos em poder dos investigadores, eles são o elo do partido com a Lava-Jato. Na Diretoria de Abastecimento, Paulo Roberto Costa remetia propinas para o PP; na Internacional, Nestor Cerveró favorecia o PMDB. O PT ficava com ao menos duas diretorias: de Engenharia; e de Gás e Energia, de acordo com policiais e procuradores. Remessas de recursos no exterior eram feitas por Duque e seu subordinado Pedro Barusco.

As doações ao PT recebidas por Vaccari não poderiam ser consideradas de origem lícita, segundo o procurador Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa do Ministério Público. Ele disse que o tesoureiro sabia que as captações vinham de recursos desviados da Petrobras. O vice-presidente da Camargo Corrêa, Eduardo Leite, confirmou a suspeita levantada por Augusto Mendonça, executivo da Toyo Setal. De acordo com o diretor da segunda maior empreiteira do país ; atrás apenas da Odebrecht ;, Vaccari pediu dinheiro do esquema. ;O pagamento de propina era disfarçado de doação eleitoral;, revelou Dallagnol. Empresas do grupo de Mendonça fizeram 24 pagamentos de suborno camuflados de doação de campanha, no valor de R$ 4,26 milhões. ;Esses pagamentos foram feitos a pedido de Renato Duque. João Vaccari indicava as contas dos diretórios estaduais;, explicou o procurador.

Ao decretar a prisão preventiva de Duque, o juiz Sérgio Moro classificou de ;assustador; o fato de o ex-diretor continuar a receber propina mesmo depois de deflagrada a Operação Lava-Jato, em março do ano passado.

Transparência
Dilma Rousseff discordou da avaliação de que a prisão de Duque e a denúncia de ontem aumentem a insatisfação da população com o governo petista. ;Esses acontecimentos mostram que todas as teorias a respeito de como é que o governo interferiu sobre o Ministério Público ou sobre quem quer que seja são absolutamente infundadas;, afirmou a presidente. ;Se querem investigar, vão investigar. Quem for responsável pagará pelo que fez, só isso;, disse Dilma.

O advogado de Vaccari negou qualquer arrecadação com dinheiro de ;superfaturamento, cartel e corrupção;, como sustenta o Ministério Público. Luiz Flávio Borges D;Urso afirma que seu cliente ;não participou de nenhum esquema para recebimento de propina ou de recursos de origem ilegal destinados ao PT;. ;O senhor Vaccari repudia as referências feitas por delatores a seu respeito, pois elas não correspondem à verdade.;

Preso pela primeira vez em 14 de novembro, Duque foi solto em 3 de dezembro pelo Supremo Tribunal Federal (STF). O advogado dele disse que a nova prisão, decretada pelo juiz Sérgio Moro, é ;ilegal; e afronta à decisão do STF. ;Renato Duque nega a prática de ilícitos, enquanto diretor da Petrobras;, disse Alexandre Lopes.


Linha do tempo
Confira as etapas da Operação Lava-Jato e como a apuração de lavagem de dinheiro atingiu doleiros e chegou à maior estatal brasileira

1; fase
; Em 17 de março de 2014, 400 policiais federais deflagraram uma operação para combater quatro grupos de doleiros que agiam isolada ou conjuntamente na lavagem de R$ 10 bilhões, derivados dos mais diversos tipos de crimes ; de tráfico de drogas e contrabando a sonegação e corrupção na Petrobras. A investigação foi iniciada com crimes cometidos pelo ex-deputado José Janene (PP-PR) ao tentar esconder dinheiro do mensalão. Foram feitas 30 prisões, entre elas, a do doleiro Alberto Youssef, pivô do caso Banestado. Carros, computadores, telefones, agendas, obras de arte, armas e dinheiro em espécie foram apreendidos.

2; fase
; Em 20 de março, a PF prendeu o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa. Segundo a PF, ele e familiares tentavam destruir provas de corrupção na estatal.

3; fase
; Em 11 de abril, 16 mandados de busca, três de prisão temporária e seis de condução coercitiva foram cumpridos.

; Paulo Roberto Costa é solto em 19 de maio pelo ministro do STF Teori Zavascki.

4; fase
; Em 11 de junho, Paulo Roberto Costa é preso novamente pela Justiça. Foi cumprido ainda um mandado de busca.

; Em 29 de junho, Paulo Roberto assina acordo de delação premiada com o Ministério Público e começa a contar o que sabe sobre a corrupção na Petrobras. Ele se compromete a pagar mais de R$ 70 milhões em multas e devolução de valores escondidos no exterior. Em parte dos depoimentos, o ex-diretor da estatal menciona deputados, senadores e figuras do mundo político.

5; fase
; Em 1; de julho, foram cumpridos sete mandados de busca, um de prisão temporária e um de condução coercitiva.

6; fase
; Em 22 de agosto, foram cumpridos mais 15 mandados de busca e um de condução coercitiva.

; Em 5 de setembro, trechos das acusações da delação de Paulo Roberto Costa foram publicados na imprensa, nos quais ele acusa políticos da base aliada de receber propinas. As revelações movimentaram as campanhas presidenciais do PT, do PSDB e do PSB com acusações mútuas. O debate sobre a corrupção ganhou força na agenda eleitoral.

; Em 29 de setembro, o ministro T

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação