Dilma mergulha na crise no Congresso

Dilma mergulha na crise no Congresso

Com a popularidade em baixa, a presidente enfrenta dificuldades na articulação com o parlamento

PAULO DE TARSO LYRA JOÃO BOSCO LACERDA
postado em 19/03/2015 00:00
 (foto: Breno Fortes/CB/D.A Press)
(foto: Breno Fortes/CB/D.A Press)


A tarde de ontem no Congresso afunda o governo novamente no pesadelo da relação conturbada com o parlamento. ;O que este governo anda fazendo, hein? Pior que ainda nos empurra para o fundo com ele;, protestou o líder do PSC na Câmara, Hugo Leal (RJ), a um atônito Arlindo Chinaglia (PT-SP).

;Isso não se faz, a base está querendo roubar o nosso papel de oposição. Deixa um pouquinho para a gente;, tripudiou o líder do PPS na Câmara, Rubens Bueno (PR). Mais cedo, ele já ressaltara que a pesquisa Datafolha, apontando uma rejeição de 62% à presidente Dilma Rousseff, desmascara o argumento de que só a elite branca foi às ruas no último domingo, por estar insatisfeita. ;Dilma teve 16% de aprovação no Nordeste. O eleitorado dela também não está gostando do governo;, completou Bueno.

O momento é complexo, independentemente do cenário em que se vislumbre. No início da manhã de ontem, o presidente nacional do PT, Rui Falcão, reuniu-se com um grupo de 30 deputados. Tentou dizer que o partido precisa fazer mobilizações de rua para reverter o desgaste do governo. ;Não conseguiu apontar nada organizado para o momento ou um caminho para reverter o quadro atual;, admitiu uma liderança petista.

Nem mesmo o pacote anticorrupção anunciado pela presidente ontem, como uma tentativa de implantar uma agenda positiva, serviu de consolo. O senador Aécio Neves (PSDB-MG) afirmou que o governo sempre corre para as mesmas medidas quando a situação se complica. Para ele, a pesquisa mostra que não é só a oposição que está contra o governo. Ele afirmou também que se é para combater a corrupção o governo deveria ;afastar o Vaccari (João Vaccari Neto, tesoureiro do PT;. O senador ainda disse que a oposição vai apresentar projeto para que partidos que receberam dinheiro de corrupção para campanha tenham registro cassado.

Indulto

O líder do DEM no Senado, Ronaldo Caiado (GO), criticou o fato de a presidente não ser investigada no âmbito da Operação Lava-Jato. ;Acho que, antes de apresentar pacotes anticorrupção, a presidente deveria apresentar projeto que libere a investigação de fatos que não sejam diretamente ligados ao mandato, para que tudo fique claro;, disse. ;A queda da popularidade fecha o ciclo da ingovernabilidade do governo;, completou.

O senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PA) disse que a oposição não se colocará contra a aprovação das medidas, mas criticou a demora para elas serem enviadas. ;As pessoas foram às ruas pedir providências. Lei anticorrupção já existe, o que falta agora é sua regulamentação;, completou o tucano. ;O governo já revelou seu caráter, por exemplo, dando indulto de Natal para mensaleiros.;

Para o deputado Paulo Teixeira (PT-SP), o governo precisa adotar uma agenda positiva e mudar algumas palavras, como ajuste fiscal. ;Arrumar as contas todos os governos precisam arrumar. Mas vamos parar de falar ajuste, porque soa mal. Ajuste você faz em calça comprida;, comparou o petista.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação