Suspeitos da morte de cinegrafista em liberdade

Suspeitos da morte de cinegrafista em liberdade

postado em 19/03/2015 00:00
 (foto: Agência O Globo - 6/2/14)
(foto: Agência O Globo - 6/2/14)

Acusados da morte do cinegrafista Santiago Andrade durante protesto no Centro do Rio de Janeiro em fevereiro de 2014, os ativistas Caio Silva de Souza e Fábio Raposo foram autorizados pela Justiça a deixar a cadeia. Eles serão monitorados com tornozeleiras eletrônicas e, entre as proibições, não poderão participar de manifestações nem ficar na rua à noite.

A libertação da dupla foi autorizada porque o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ) acatou recurso da defesa, que conseguiu desqualificar o crime de homicídio triplamente qualificado. No entanto, foi mantida a acusação de explosão seguida de morte, com pena que pode chegar a oito anos de prisão. Caio e Fábio aguardarão o julgamento em liberdade.

Santiago Andrade era cinegrafista da TV Bandeirantes e foi atingido por um rojão enquanto cobria manifestação contra o aumento das passagens de ônibus no Rio de Janeiro, próximo à Central do Brasil, em 6 de fevereiro de 2014. Ele ficou internado e morreu quatro dias depois. Na época, imagens de tevê ajudaram a identificar os suspeitos.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação