Joias do mundo antigo

Joias do mundo antigo

postado em 19/03/2015 00:00
 (foto: Fethi Belaid)
(foto: Fethi Belaid)



O Museu do Bardo de Túnis, alvo do ataque de jihadistas, abriga uma coleção excepcional de mosaicos. A riqueza das coleções, que cobrem a pré-História e as épocas fenícia, púnica, númida, romana, cristã e árabe-islâmica, é única. O museu duplicou em 2012 a superfície de exposição, atingindo 23 mil m;, e reorganizou a apresentação.

Entre as obras-primas expostas está O triunfo de Netuno, datado do século 2. Com 13m por 8m, é considerado o maior mosaico vertical do mundo. Outra obra-chave é a coleção de mosaicos intitulada A alcova de Virgílio, que representa o autor do célebre poema épico Eneida, cercado de musas.

Instalado em um palácio da época do Império Otomano, o museu acolhe milhares de pessoas por ano e registrou o maior número em 2005, com 600 mil visitantes. Em 2011, ano da revolução tunisiana, apenas 100 mil o visitaram.

O turismo, setor-chave da economia local, foi muito afetado pela crise política e pelo surgimento do movimento jihadista, depois do levante popular quee derrubou o presidente Zine El-Abidine Ben Ali, em janeiro de 2011, naquele que é tido como o marco inicial da Primavera Árabe.

Em 2014, a renda com o turismo registrou um leve crescimento. O número de turistas, no entanto, baixou 3,2%, caindo para 6,07 milhões, diante dos 6,27 milhões de 2013.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação