grita geral

grita geral

postado em 19/03/2015 00:00

CEILÂNDIA
BAR COM SOM ALTO
Maria das Graças (nome fictício) mora em Ceilândia e denuncia que um bar localizado em área residencial oferece eventos com música ao vivo até a madrugada, incomodando a vizinhança. Segundo ela, o Bar do Galego fica na QNM 7, Conjunto F e coloca o som alto todos os domingos, das 18h à 1h. ;Eles incomodam todos, o volume do som está sempre muito alto;, queixa-se. A leitora conta que a Agefis compareceu ao local após uma reclamação dos moradores, mas nada foi resolvido. ;Os nossos vizinhos chamam a polícia, eles abaixam o volume, mas, assim que os policiais vão embora, a música volta.; Além da poluição sonora, a leitora conta que são frequentes brigas e tiroteios por ali e, quem vai reclamar, é ameaçado pelos donos do estabelecimento.

; A Agência de Fiscalização do Distrito Federal (Agefis) informa que recebeu uma denúncia da Ouvidoria e compareceu ao estabelecimento em 27 de fevereiro. Durante essa fiscalização, foi constatado que o local não conta com alvará de funcionamento, portanto, o estabelecimento foi notificado e dado 30 dias para que o proprietário providencie o documento. Ao passar esse período, a Agefis voltará ao local e tomará as providências cabíveis.

ENSINO SUPERIOR
DIFICULDADES COM O FIES
O estudante Matheus (nome fictício) denuncia que o Centro Universitário de Brasília (UniCeub) está cobrando dos alunos inscritos no Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) um repasse excedente de verba. ;Eles estão impondo o repasse ou o atraso de, no mínimo, um ano do curso para todos os alunos do Fies;, queixa-se. O leitor lembra que o Ministério da Educação (MEC) divulgou que é obrigatória a renovação de todos os contratos do Fies, sendo que o prazo de aditamento será até 30 de abril. Entretanto, segundo Matheus, a instituição de ensino superior tem dado apenas três dias para os alunos decidirem se vão pagar ou interromper o curso. O estudante do curso de direito pede socorro, uma vez que ;os alunos dependem do programa e não podem arcar com nenhum valor, caso contrário, não utilizariam o Fies;. Ele finaliza dizendo que os universitários sofrem discriminação por não terem os nomes nas chamadas e por serem excluídos das atividades.

; A assessoria de Comunicação do UniCeub informa que as definições para o aditamento do Fies foram aplicadas a partir das novas regras do MEC, que são públicas. ;O sistema está liberado para a Comissão Permanente de Supervisão e Acompanhamento, responsável pela validação das informações prestadas pelo estudante no ato da inscrição, iniciar o processo de aditamento de renovação dos contratos de financiamento, independentemente do valor.; A assessoria diz que a instituição colocou os alunos do Fies em matrículas provisórias, para que não haja prejuízos com frequência, até que os processos burocráticos sejam resolvidos.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação