Morte, venda ilegal e prisão em Águas Lindas

Morte, venda ilegal e prisão em Águas Lindas

Luiz Calcagno
postado em 19/03/2015 00:00
 (foto: Minervino Junior/CB/D.A Press - 18/3/15)
(foto: Minervino Junior/CB/D.A Press - 18/3/15)

Um vereador de Águas Lindas está envolvido em um esquema de venda ilegal de lotes no município goiano vizinho ao Distrito Federal. A Polícia Civil estadual identificou, além dele, sete integrantes do grupo, incluindo Cristiano de Jesus Lucas, 26 anos, desaparecido havia 22 dias e encontrado morto na fazenda do policial militar de Goiás José Fernandes Leite ; esse último também é suspeito de participar das operações fraudulentas. A polícia prendeu, ainda, uma tabeliã de Montalvânia (MG), acusada de emitir procurações falsas. De acordo com o delegado Cléber Martins, à frente das investigações, a funcionária emitiu mais de 30 documentos em nome de Cristiano e de outros suspeitos para que eles vendessem lotes de terceiros na cidade. Cada procuração custava, pelo menos, R$ 1,5 mil.


A Polícia Civil não divulgou o nome do político. As investigações começaram no início de fevereiro, quando o proprietário de uma casa desocupada descobriu que o lote dele, localizado no bairro Jardim Brasília, tinha sido vendido com o uso de documentos falsos ; os acusados agiram, principalmente, em endereços nos quais os donos estavam mortos. A vítima registrou ocorrência na delegacia de Águas Lindas. O primeiro suspeito identificado foi Cristiano, que delatou o esquema. Ele desapareceu alguns dias depois de prestar depoimento. Familiares fizeram uma manifestação em 26 de fevereiro na BR-070 a fim de pressionar os agentes a encontrá-lo.


Segundo testemunhas ouvidas pelo Correio, ele teria prestado depoimento no mesmo dia em que o policial militar José Fernandes. Porém, existe a possibilidade de alguém de dentro da Polícia Civil ter informado os integrantes do grupo. ;Estamos investigando isso. O Cristiano colaborou com a polícia e, por isso, acreditamos, ele foi morto. O suspeito (PM) está preso. Ele responderá pelo inquérito sobre a venda ilegal de lotes e também será autuado em flagrante pelo sequestro seguido de morte do rapaz;, explicou Cléber. Somadas, as penas pelos crimes chegam a 30 anos de prisão. O delegado informou que José Fernandes permaneceu calado no depoimento, por orientação do advogado.


Com a ajuda de cães farejadores do Corpo de Bombeiros de Luziânia (GO), policiais encontraram o corpo das vítima por volta das 11h de ontem. Estava em avançado estado de decomposição. Por isso, ainda não foi possível a causa da morte. A polícia suspeita que ele ficou em cativeiro antes de ser assassinado, pois na fazenda do policial militar havia um quarto separado da casa, apenas com um colchão.


Se ficar comprovado que os compradores dos lotes não agiram de má-fé, eles deverão procurar a Justiça para exigir o ressarcimento. Parentes de Cristiano se recusam a acreditar que ele fizesse parte do esquema de vendas de lotes. O pai do jovem, Deneval Lucas Pereira, disse que ele foi morto por saber do problema. ;O meu filho foi usado por essas pessoas. A nossa família está acabada, destruída;, lamentou. Ele será sepultado hoje à tarde, em Ipameri (GO).

Centenas de vítimas

A Polícia Civil prendeu um casal de estelionatários, na tarde de ontem, em Taguatinga. Evandro Luiz de Souza, 51 anos, e a mulher dele, Sirlei Aparecida da Silva Souza, 46, foram detidos em casa, na QND 7 de Taguatinga Norte. A dupla é acusada de lesar de 300 a 500 pessoas e faturar mais de R$ 4 milhões com os golpes. Todos os bens dos suspeitos, além dos passaportes, foram bloqueados. De acordo com o delegado-chefe da 21; DP (Taguatinga Sul), Alexandre Dias, os criminosos se passavam por operadores financeiros e apresentavam propostas de investimento com supostos lucros de até três vezes o valor aplicado.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação