4,2 mil em férias na Volks

4,2 mil em férias na Volks

postado em 31/03/2015 00:00
 (foto: Marlos Ney Vidal/EM/D.A Press - 14/7/5)
(foto: Marlos Ney Vidal/EM/D.A Press - 14/7/5)


A desaceleração da economia, os juros altos, a redução crédito e a falta de confiança de empresários e trabalhadores de que as condições do país melhorem a curto prazo estão comprometendo a produção e o emprego. Desde ontem, 4,2 mil funcionárias da unidade de Taubaté, da Volkswagen, permanecem em casa até o fim de abril. De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo, a empresa não informou as áreas que serão afetadas pelas férias coletivas. Além dessas medidas, a Volks suspendeu temporariamente os contratos de trabalho (layoff) de 250 profissionais da fábrica. O layoff teve início em 17 de março e pode ser estendido pelo período de 5 meses.

Em meados de março, a Fiat também adotou o descanso coletivo para 2 mil empregados na fábrica de Betim (MG). Com queda de vendas de quase 30% no primeiro bimestre deste ano, a montadora precisou reduzir a produção para não elevar os estoques. Essa pisada no freio da empresa, na unidade mineira, já teve consequências na cadeia produtiva.

A fabricante de componentes automotivos Sodecia Minas Gerais reduziu o quadro funcional de 1.150 profissionais para cerca de 700, segundo o Sindicato dos Metalúrgicos de Sete Lagoas (MG). E o temor é que as demissões atinjam as indústrias de ponta, como fundições, produtores de ferro-gusa, usinas siderúrgicas e até fabricantes de máquinas e equipamentos.

Eletrônicos

Outro segmento com dificuldades devido ao baixo crescimento da economia é o de produtos eletroeletrônicos. A LG, fabricante de celulares, smartphones, televisões e aparelhos de som, ampliou as férias coletivas. Menos de um mês depois de deixar em casa 170 funcionários da unidade Taubaté, a empresa decidiu estender a medida para outros 223 trabalhadores da fábrica. Com isso, 393 operários devem ficar afastados das atividades por um período de até 30 dias.

Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos, devem ser atingidos os setores de produção de celulares, monitores e produtos de linha branca, como eletrodomésticos. A unidade na cidade conta com cerca de 2 mil profissionais.

Do novo pedido, 130 empregados da linha de monitores ficarão afastados das atividades entre 7 e 22 de abril; e os outros 93, do setor de celulares, permanecem em férias entre 7 de abril pelo período de um mês.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação