Bolsa sobe, dólar cai

Bolsa sobe, dólar cai

postado em 03/04/2015 00:00


O mercado teve ontem um dia de tranquilidade como há muito tempo não se via. Na véspera do feriado da semana santa, os investidores se renderam às boas notícias vinda do exterior e ao clima mais ameno na política. Tanto que o dólar encerrou a quinta-feira com queda de 1,36%, cotado a R$ 3,129 para venda. Já a Bolsa de Valores de São Paulo subiu 1,53%, para os 53.123 pontos, o maior nível desde 28 de novembro do ano passado. Na semana, a moeda norte-americana acumulou alta de 3,43% e o Ibovespa, principal índice de lucratividade do pregão paulista, avançou 6%.

Segundo Sílvio Campos Neto, economista da Tendências Consultoria, o que se viu ontem foi ;uma combinação de fatores de menor pressão externa e acomodação das preocupações políticas no Brasil;. Mas, segundo ele, nada indica que essa paz nos mercados se prolongará por muitos dias, pois, assim que voltar do recesso, o Congresso tenderá a criar problemas para a presidente Dilma Rousseff. Além disso, o Federal Reserve (Fed), o Banco Central dos Estados Unidos, poderá dar sinais claros sobre o aumento dos juros na maior economia do planeta.

Expectativa
Para Dany Rappaport, da InvestPort, começa a se desenhar, no Brasil, ;a percepção de que, talvez, o pior tenha ficado para trás;. Mas, no entender dele, os dados da economia ainda estão muito ruins, com inflação alta, acima de 8%, e dados fiscais e externos sem mostrarem viradas significativas. Na avaliação dele, será preciso que o ajuste fiscal conduzido pelo ministro da Fazenda, Joaquim Levy, mostre resultados efetivos para consolidar o bom humor dos investidores. Do contrário, o clima azedará de novo.

Segundo Arlindo Sá, da Corretora Icap, muita gente ficou de fora dos mercados ontem a fim de esperar os desdobramentos das questões políticas no país. Isso ficou muito claro no mercado futuro de juros. ;Com a volatilidade atual das taxas, ninguém quis fechar grandes operações e ficar com elas por três dias;, explicou. Os investidores estão ávidos por saber se realmente o ministro da Fazenda conseguiu convencer o Congresso sobre a importação de aprovar medidas que garantam o cumprimento da meta de 1,2% do Produto Interno Bruto (PIB).

EUA em alta
A quinta-feira foi de alta em todas as bolsas de valores dos Estados Unidos, na expectativa de bons indicadores do mercado de trabalho. O total de pedidos de auxílio-desemprego caiu inesperadamente na semana passada, mas, anteontem, foram divulgados dados mais fracos que o esperado sobre o emprego no setor privado e a produção industrial. Esse quadro misto não desanimou os investidores. O índice Dow Jones subiu 0,37% e a Nasdaq, a bolsa eletrônica , 014%.



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação