Para pedalar na chuva

Para pedalar na chuva

Usar a bicicleta em pistas molhadas oferece mais riscos para o ciclista e para a própria magrela. Mas, com os cuidados certos, é possível evitar acidentes e - acredite - aproveitar bem o passeio

postado em 03/04/2015 00:00
 (foto: Eugene Hoshiko/AP - 9/12/03)
(foto: Eugene Hoshiko/AP - 9/12/03)


A chuva não tem dado trégua para os brasilienses, e a previsão é de mais água neste feriadão. Muitos ciclistas, profissionais ou amadores, ficam desencorajados quando o céu fecha. Visibilidade comprometida, buracos, pista escorregadia... Os riscos de acidente aumentam consideravelmente nessas condições. Mas para quem não se importa tanto em se molhar, há uma série de medidas e cuidados que devem ser tomados antes de pedalar na chuva.

A cautela, por exemplo, tem de ser maior. Poças, mesmo que pareçam pequenas, escondem buracos ou objetos que podem furar os pneus, como pregos e cacos de vidro. Manchas na pista, geralmente em tons de arco-íris, são um sinal de óleo, que torna o asfalto escorregadio e aumenta o risco de derrapagens.

Se a bicicleta é seu meio de transporte para o trabalho ou a aula, saia de casa com bastante antecedência. Na chuva, andar mais devagar que o normal é fundamental, pois a água compromete a visibilidade dos ciclistas e dos motoristas. E se a bike custou caro, investir em um modelo mais barato para os dias de chuva pode ser uma boa opção ; assim, não há riscos de estragar a sua favorita.

Capa de chuva e bermuda são itens essenciais na mochila do estudante de ciência política Gabriel Azevedo, 21 anos. Isso porque a experiência ensinou que a precaução é o melhor caminho. ;Fiquei ensopado naquele dia. Estava de capa, mas usava jeans e nesse dia não levei um short;, conta. Todos os dias, o universitário vai de casa ao estágio pedalando, por 5km. Menos quando chove: ;Eu olho a previsão antes. Se o tempo estiver muito fechado ou com chance de chuva, vou de carro;.

Evitar pistas molhadas é o que faz qualquer ciclista que se preze. ;Espero que a seca chegue;, brinca o dentista Paulo Borba, 50 anos, que mora no Park Way e comprou uma bicicleta dobrável com paralamas, que leva no porta-malas até a Asa Sul, onde trabalha. De lá, só anda sobre duas rodas, seja para almoçar, seja para fazer outras tarefas por perto.

Em março do ano passado, Vitor Borba, 19, filho de Paulo, combinou de andar de bicicleta no túnel do veículo leve sobre trilhos (VLT), perto do aeroporto, com a família. Havia chovido bastante durante a semana e o viaduto estava alagado. Não o suficiente para impedir o passeio. ;A água batia nos joelhos e dificultava para pedalar, mas não podíamos parar;, recorda. Do passeio, restou um registro no Instagram ; e o alívio de nenhuma peça ter sido danificada.





10 dicas para guiar na chuva

1. Deixe na mochila ou na bolsa uma capa de chuva para emergências: além de proteger da água, ela mantém a temperatura corporal e serve como corta-vento. E leve uma roupa reserva.

2. Luvas fazem parte do equipamento básico de segurança para ciclistas, mas têm importância especial na chuva, pois aumentam a aderência ao guidão e evitam que a mãos escorreguem.

3. O mesmo vale para os pés, que devem ficar protegidos para prevenir escorregões. Meias ou sapatos impermeáveis resolvem, mas há solução mais barata: cobrir os pés com sacolas plásticas bem amarradas.

4. Proteja os olhos. Óculos com lentes claras ou amarelas são ideais, pois eles ajudam a identificar buracos ou calombos na pista. Nada de óculos escuros na chuva.

5. Os paralamas são essenciais, pois protegem o ciclista de todo tipo de sujeira que esteja na água. O equipamento deve ser colocado nas duas rodas. O custo da instalação fica entre R$ 25 e R$ 380.

6. Há pneus feitos de diferentes borrachas que aderem melhor às pistas molhadas, tornando o passeio mais seguro. Qualquer pneu deve ser calibrado de acordo com o peso do ciclista.

7. Luzes de bicicleta são um equipamento de segurança muito importante. Para quem pedala à noite ou na chuva, então, são fundamentais. O valor da instalação varia de R$ 30 a R$ 180.

8. Ciclistas experientes ditam a regra: pedale sempre no mesmo sentido dos carros. Assim, você tem mais tempo para reagir aos veículos, e os motoristas têm mais tempo para perceber sua presença.

9. Frear de modo brusco pode fazer a bicicleta girar sem controle. Pressione o freio devagar e com antecedência, principalmente antes de curvas.

10. É importante lembrar-se dos cuidados pós-chuva. Para que a bicicleta não estrague, seque bem as rodas e as correntes ; que também devem ser lubrificadas. O ideal é levar a bike para uma revisão geral.






Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação