O banquete de tira-gostos

O banquete de tira-gostos

Rebeca Oliveira Renata Rios
postado em 15/05/2015 00:00
os boêmios mais otimistas acreditam que os ideais de liberdade, igualdade e fraternidade que sustentam a cultura francesa não teriam sido instituídos sem infindáveis discussões em mesas de bar.

Para eles, é impossível falar em Revolução Francesa e não associá-la ao burburinho do Montparnasse, bairro adotado como segundo lar por uma leva de artistas que impulsionaram a mudança de paradigmas no país europeu.

Ao redor de mesas de bares brasilienses também nascem canções, livros, eventos, tirinhas; Esta semana, o Divirta-se Mais lista os nove tira-gostos preferidos de artistas do cenário cultural brasiliense. Do tradicional pescoço de peru à refinada cumbuca de mariscos, eleitos, respectivamente, as comidas de boteco preferidas do DJ Barata (do Criolina) e do músico André Gonzales, à frente, entre outros projetos, da banda Móveis Colonias de Acaju.

Morador de Taguatinga, o multi-instrumentista Dillo D;Araújo trabalha à noite, mas não deixa de frequentar a boemia brasiliense e, por consequência, apreciar a gastronomia de Taguá, como a servida no Bar dos Pescadores. O músico adora quitutes como a linguiça de pernil caseira e a porção de almôndegas.

Na Asa Norte, a diversidade atrai os frequentadores da noite.;Opto por botecos onde é possível comer bem, provar boas cervejas e drinques;, acrescenta o agitador cultural Daniel Amaro (Spot), que aprova a batata rústica do 5uinto Bar.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação