CPI vai ouvir o homem da mala

CPI vai ouvir o homem da mala

postado em 15/05/2015 00:00
 (foto: Alex Ferreira/Câmara dos Deputados)
(foto: Alex Ferreira/Câmara dos Deputados)


A CPI da Petrobras aprovou ontem a convocação do transportador de dinheiro do doleiro Alberto Youssef. Os parlamentares querem que Rafael Ângulo, que fechou acordo de delação premiada com o Ministério Público, explique os pagamentos que fez a mando do chefe. Segundo o doleiro, Ângulo participou de remessas de dinheiro para políticos como o senador Fernando Collor (PTB-AL) ; que nega irregularidades.

Os parlamentares ainda decidiram chamar para depor o dono do laboratório farmacêutico Labogen Leonardo Meirelles. Youssef disse que usava a empresa para fazer remessas de dinheiro ao exterior, simulando importação de medicamentos. A empresa também fechou uma parceria com o Ministério da Saúde, após intervenção do então deputado André Vargas (ex-PT-PR), para produzir remédio, mas o contrato foi cancelado quando foi deflagrada a Operação Lava-Jato.

Os deputados ainda convocaram para depor a viúva do ex-deputado José Janene (PP-PR), Stael Fernanda Janene; o presidente do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), Antônio Gustavo Rodrigues; o empresário Walter Torre Júnior, do grupo WTorre, dos clientes da empresa de consultoria do ex-ministro Antônio Palocci; os empresários Davi e Daniel Feffer. Ontem, eles ainda tomaram o depoimento diretor de Operações da Sete Brasil, Renato Sanches Rodrigues. Ele disse não ter conhecimento das irregularidades investigadas pela Lava-Jato e disse que não assinou contratos para construção de navios para a Petrobras. (EM)


Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação