Brasília-DF

Brasília-DF

por Denise Rothenburg » deniserothenburg.df@dabr.com.br
postado em 15/05/2015 00:00


PT versus governo
Autor de uma proposta que acaba com o fator previdenciário, o senador Paulo Paim (PT-RS) lança uma ideia que, se vingar, pode comprometer o ajuste fiscal: votar contra toda a Medida Provisória 665, a das aposentadorias e pensões, caso a presidente Dilma Rousseff insista em vetar a emenda que torna a aplicação do fator previdenciário mais branda. Até aqui, Paim não tem os votos para fazer valer essa queda de braço. Se tiver, o governo se verá obrigado a negociar.

; ; ;

Entre alguns líderes petistas, entretanto, a tese de Paim é vista como um argumento para que ele, logo ali na frente, deixe o partido. Na avaliação dos palacianos, até aqui o governo conquistou vitórias e retomou a governabilidade. Quanto ao fator, o Planalto considera ter condições de tentar manter o veto mais adiante, mas ainda vai avaliar cada passo. Há quem defenda flexibilizar logo o fator e acabar de vez com o fantasma da proposta que extingue de vez um valor menor no benefício de quem se aposenta cedo.

Síndrome da falta de confiança
Os partidos que até aqui votaram com o governo todas as medidas do ajuste ficaram irados ao ver o relator do texto, Carlos Zaratini (PT-SP), jogar em favor de mudanças no fator previdenciário. Começa a se espalhar o sentimento de que Michel Temer influencia quase todos os partidos da base, exceto o PT. E, se continuar desse jeito, a base vai fraquejar. Tem gente cansada de servir de escada para que um grupo de petistas continue votando contra o governo.

Depois da PEC da Bengala...
... Entra em cena a PEC da Experiência. O senador Raimundo Lira (PMDB-PB) planeja aumentar de 35 para 50 anos a idade mínima para os desembargadores estaduais e ministros de tribunais superiores. No caso do Supremo Tribunal Federal, entretanto, ele propõe elevar de 35 para 55 essa idade de acesso. Luiz Edson Fachin estaria dentro: tem 57 anos.

Mulheres na luta
A bancada feminina se prepara para jogar todas as 51 fichas contra o distritão. A deputada Soraya Santos (PMDB-RJ), que lidera o grupo, avisa que o voto favorável a esse sistema eleitoral só virá se houver a garantia de 30% das vagas da Câmara para o sexo feminino. A briga vai ser grande.

Renan na lida
Os amigos do presidente do Senado, Renan Calheiros, têm dito que, quanto mais os investigadores colocarem o senador no centro do furacão político da Lava-Jato, mais ele apertará o cerco contra o Palácio do Planalto para ver se sai do holofote policial.

Duas versões/ Há tanto no Democratas quanto no PTB quem esteja convicto de que a fusão entre os dois partidos não sai, embora os baianos do DEM e a presidente petebista, Cristiane Brasil, deem união em meados de junho.

Petrolão na TV/ O ministro do Supremo Tribunal Federal Marco Aurélio Mello (foto) considera justa a transmissão ao vivo pela TV Justiça de todas as sessões da turma que julgará os políticos enroscados na Lava-Jato. Normalmente, essas sessões não são transmitidas.

Virou queridinho/ O PR é visto atualmente no Planalto como um dos partidos mais fiéis ao governo. Mas os cargos que a legenda adoraria indicar alguns dos seus filiados até agora nada.

Depois de apoiar Aécio.../ O líder do PSC, Andre Moura, esteve com Michel Temer essa semana. A temporada no partido é no sentido de buscar uma aproximação com o vice.



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação