Hora de investigar

Hora de investigar

Comissão que apura possíveis irregularidades em licitação realizada no governo passado define presidente e relator. Na próxima quinta-feira, colegiado se reúne para definir o cronograma de trabalho

» BERNARDO BITTAR
postado em 15/05/2015 00:00
 (foto: Carlos Moura/CB/D.A Press - 23/2/10)
(foto: Carlos Moura/CB/D.A Press - 23/2/10)



A Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) definiu os integrantes da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que vai investigar a licitação realizada pelo ex-governador Agnelo Queiroz para renovar a frota de ônibus da capital, em 2012. O presidente será o deputado Renato Andrade (PR) e o relator, Raimundo Ribeiro (PSDB). A investigação deve esclarecer o motivo da redução de veículos de transporte público disponíveis. Um relatório com os resultados será encaminhado para o Ministério Público do DF (MPDFT).

;Vamos tentar fazer com que as empresas vencedoras ; a Viação Piracicabana e a Viação Pioneira ; cumpram tudo o que foi prometido à época da licitação;, garantiu o bispo Renato. Entre os benefícios estariam a melhoria do transporte público, com veículos mais novos; o aumento do número de ônibus transitando nas ruas; a diminuição das tarifas, além de um horário de funcionamento mais flexível.

De acordo com o presidente da comissão, ninguém está livre de ser convocado a depor. ;Vamos analisar os documentos para ver quem vai responder pelas irregularidades.; Caso seja necessário, representantes do Grupo Constantino, proprietário das empresas de ônibus vencedoras, podem ser chamados. ;Não há ninguém blindado. A intenção do processo era quebrar esse monopólio existente no transporte público do DF, e isso não aconteceu;, afirmou.

Segundo o relator Raimundo Ribeiro, haverá um trabalho conjunto para resolver os problemas dos ônibus no DF. Os percalços devem ser identificados e soluções serão apresentadas. ;Na próxima quinta-feira, 21 de maio, haverá uma reunião para discutirmos o programa de trabalho da investigação;, disse.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação