Emaranhado de lugares-comuns

Emaranhado de lugares-comuns

Ricardo Daehn
postado em 15/05/2015 00:00
 (foto: Downtown Filmes/Divulgação
)
(foto: Downtown Filmes/Divulgação )

Em meio a clichês que impregnam comédias românticas, Divã a 2 não passa ileso. Acata um tanto da cartilha consagrada, mas acusa um esforço do diretor Paulo Fontenelle com o humor menos pasteurizado.

A crise é o ponto de partida que leva o casal Eduarda (Vanessa Giácomo) e Marcos (Rafael Infante) para a terapia. Desarmonias, aliás, encaminham ambos para uma separação (que soa falsa na tela). Pronto: o público já tem por quem torcer no desenlace da fita que contrapõe Marcos ao metódico e idealizado Leo (Marcelo Serrado).

Um calvário de libertação feminina, com gosto de emancipação, pode interessar as mulheres ; mas, ainda que Vanessa Giácomo seja talentosa, a figura de Lília Cabral se sobrepõe, num comparativo que o novo filme não consegue superar.

Há cenas bem divertidas, com Fernanda Paes Leme brilhando como Isabel, a amiga ;pessoa solta; de Eduarda e a boa participação de Fiuk. No mais, prevalece o jogo de reconquistas, as idas e vindas do amor e o apelo, no roteiro, do velho truque do hospital (um amor fragilizado derreteria coração calejado?). Para quem gosta de repeteco, mesmo sem tempero.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação