Inteligência ilusória

Inteligência ilusória

postado em 17/05/2015 00:00


A enorme quantidade de informações a apenas um clique de distância faz as pessoas se sentirem mais inteligentes do que, de fato, são. Psicólogos da Universidade de Yale, nos Estados Unidos, publicaram recentemente um estudo afirmando que mecanismos de busca como Google e Yahoo! levam os usuários a fantasiar que são eles ; e não a internet ; que detêm mais conhecimento que qualquer enciclopédia poderia agregar. ;Fazer as buscas na internet dá às pessoas uma ideia errada sobre a própria inteligência e as deixa com a autoconfiança inflada;, observa Matthew Fisher, candidato a doutorado em psicologia em Yale e autor da pesquisa. Esse seria mais um efeito da simbiose homem-máquina: o Google se tornou a extensão do cérebro e da própria cognição pessoal. ;As pessoas estão confundindo seu conhecimento com o conhecimento acessível na internet;, diz.

Para chegar a essa conclusão, Fisher pediu a mais de mil estudantes universitários que respondessem questões de conhecimento geral ; metade deles fez o teste on-line, enquanto a outra parte, no papel. Antes e depois do experimento, os jovens tinham de autoavaliar seu nível de inteligência e esperteza. Podendo consultar os sites de busca, aqueles que realizaram o quiz pela internet, no fim, acreditavam ser muito mais brilhantes do que os estudantes que responderam o teste no papel. ;Repetimos várias e várias vezes esses testes e sempre a autoavaliação dos que tinham acesso aos mecanismos de busca era maior depois que terminavam. Entre os demais, isso não aconteceu;, afirma.

Riscos
Ele se esquiva de dizer se a internet está deixando as pessoas idiotas, como defende o pensador e ensaísta Nicholas Carr, autor do livro A geração superficial: o que a internet está fazendo com nossos cérebros. Contudo, Fisher alerta que, enquanto traz diversos benefícios à humanidade, a web também pode ser uma ferramenta arriscada. ;É perigoso acharmos que temos mais conhecimento do que, de fato, possuímos. Isso pode ter consequências graves, principalmente em áreas envolvendo a tomada de decisões de risco;, observa.

;Algumas pessoas dizem que a internet está nos fazendo mais informados, outras alegam que estamos mais estúpidos. Acho que, de certa forma, todos estão um pouco certos;, pondera Iyad Rahwan, professor visitante de ciência da informação do Instituto de Tecnologia de Massachusetts. Recentemente, ele avaliou se as redes sociais ajudam os usuários a pensar de forma mais analítica. A resposta foi não ; na pesquisa, Rahwan constatou que, mais do que avaliar criticamente o que era postado em suas timelines, as pessoas simplesmente tendem a passar adiante as opiniões alheias. ;Então, por um lado, estamos mais bem informados do que no passado porque a internet e as redes sociais nos colocam de frente para uma quantidade muito grande de opiniões divergentes. Mas, por outro, a conectividade estimula a cópia sem espírito crítico. Então, por esse lado, acho que, sim, estamos mais estúpidos.; (PO)


Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação