grita geral

grita geral

postado em 17/05/2015 00:00


METRÔ
ESPERANDO PARA TRABALHAR


Um leitor do Correio, que não quis se identificar, procurou o Grita Geral para pedir ajuda. Ele e outras 600 pessoas foram aprovadas há um ano no concurso da Companhia do Metropolitano do Distrito Federal (Metrô-DF), porém ainda não foram convocados a assumir seus postos. Segundo o homem, existem evidências de que parentes de funcionários que ocupam cargo de destaque dentro da companhia estão sendo nomeados como comissionados no Metrô. Enquanto isso, ele e os outros aprovados aguardam. ;O contrato com as empresas terceirizadas custa mais do que chamar os concursados;, defende.

; A presidência do Metrô-DF informou, por meio de assessoria de imprensa, que tem se empenhado para viabilizar as contratações dos aprovados no concurso público realizado em 2013. Porém, infelizmente, o limite definido pela Lei de Responsabilidade Fiscal impede que órgãos da administração direta e indireta dependentes de recursos do Tesouro do DF, que é o caso do Metrô-DF, façam novas contratações. Quanto à informação de que parentes de funcionários estariam ocupando cargos de destaque, a empresa garante todas as contratações de comissionados estão de acordo com
a legislação vigente e, portanto, não há ilegalidade.

SLU
MONTANHA DE LIXO


O leitor Devaldir Firmino, morador do Gama, entrou em contato com a equipe do Grita Geral, por meio do WhatsApp (9256-3846), para reclamar do acumulo de lixo na Quadra 10 do Gama Leste, próximo de casa. Segundo Devaldir, o lixo está concentrado no local há alguns meses e é um incômodo para a população. ;É uma herança que sobrou do governo passado. O lixo só está aumentando e não
sei se vão tirá-lo de lá;, afirma.

; O Serviço de Limpeza Urbana (SLU) esclareceu, por meio de assessoria de imprensa, que o local se configura como um ponto crítico de despejo irregular de resíduos que é alvo de limpeza constante das equipes. O local receberá, a partir de segunda-feira, uma equipe do SLU para retirar os resíduos da área. O órgão informa que está em fase de conclusão um estudo elaborado por diversos órgãos do governo de Brasília para a transformação desses pontos de depósito irregular de lixo em espaços de utilização pública para atividades de lazer, esporte e agricultura, inclusive para manejo de resíduos sólidos com a implantação de Pontos de Entrega Voluntária (PEV). O SLU pede à população que não jogue lixo domiciliar, móveis inservíveis, restos de podas e entulhos em áreas públicas e terrenos baldios e que não contrate carroceiros ou empresas clandestinas para se desfazer destes materiais, pois são os principais responsáveis pelo despejo irregular de resíduos nas regiões administrativas.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação