Cabelo, cabeleira...

Cabelo, cabeleira...

Evolução de tinturas, cortes, novas fórmulas de alisamento, a forma correta de lavar as madeixas. Selecionamos todas as inovações que prometem mais beleza e saúde aos fios

Por Juliana Contaifer
postado em 17/05/2015 00:00
 (foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)
(foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)

;A primeira arma de sedução da mulher brasileira é o cabelo. Para ela se sentir bonita, o cabelo tem que ser belo. E para se sentir bem, a brasileira muda. Seis em cada 10 mulheres mudam a forma do cabelo. Oito em cada 10 mudam a cor dos fios. O mercado brasileiro é estratégico, é o maior mercado de beleza do mundo;, conta a diretora de Desenvolvimento de Produtos Especiais da L;Oreal Maya Colombani. Não é para menos ; o cabelo é, de fato, muito importante para compor a beleza.

A cada mudança na vida, a cada filho que nasce, emprego diferente, aniversário, solteirice recente ou relacionamento novo, transforma-se o cabelo. É quase inconsciente, mas mudar a aparência tem um quê de liberdade. Ao modificar as madeixas, assumimos que a vida não é mais a mesma, que estamos prontas a assumir uma nova personalidade, mais segura, que se aceita melhor. Com tantas possibilidades, por que ficar presa a um só corte, cor ou formato a vida toda? Por que não voltar ao cabelo original, antes das químicas, que você nem se lembra mais de como era? Por que não cortar Joãozinho? Cabelo cresce.

Maya explica que o mercado brasileiro de produtos para cabelo é central. Por conta da miscigenação que o nosso povo criou, todos os tipos podem ser encontrados aqui. Dos sararás aos loiros escorridos. E, como a mulher vive atrás de um arsenal para se sentir cada dia mais bonita, as grandes empresas focam o Brasil e suas necessidades. ;A brasileira quer ser natural, quer ter o cabelo muito mais brilhoso. Quase 90% delas fazem hidratação frequentemente;, explica. Para atender a esse mercado, todos os dias, novas fórmulas e tratamentos pipocam nos salões.

A Revista traz tudo o que você precisa saber sobre cabelos. Da composição à evolução das tintas, das novas fórmulas de alisamento ao jeito certo de lavar os fios, dos novos tratamentos ao corte da vez. Tudo para que a mulher se empodere mais. Sabendo mais sobre o próprio cabelo, fica mais fácil cuidar e se sentir bonita. Nas palavras de Maya: ;Hoje, a gente é o que a gente quer ser.;

Dez dicas de como usar o secador

  • 1 - Retire todo o excesso de água dos fios utilizando o aparelho em temperaturas baixas ; o contraste de temperaturas pode provocar vaporização da queratina e um estado da cutícula chamado bubble hair.
  • 2 - A distância recomendada do uso do secador é de 10 a 15cm dos fios e não se deve manter o secador direto em um apenas ponto.
  • 3 - Em cabelos coloridos, descoloridos, com permanente, alisados ou naturalmente danificados é preciso evitar o uso abusivo do equipamento. Quando necessário, deve-se aplicar produtos termoativados, que fornecem um filme protetor para os fios .
  • 4 - Em cabelos oleosos e mistos, é preciso evitar o uso do aparelho porque o calor estimula as glândulas sebáceas. O mesmo serve para quem tem dermatite seborreica.
  • 5 - Use secador com uma potência razoável. Os equipamentos domésticos, mais fracos, expõem os fios a um maior tempo de secagem.
  • 6 - Sempre que o aparelho estiver muito forte para a mão, estará danificando os fios.
  • 7 - A temperatura mais alta é indicada para modelar os fios.
  • 8 - A chapinha nunca deve ser utilizada no cabelo molhado.
  • 9 - É importante que o secador tenha uma tela de proteção na entrada de ar, evitando que o cabelo seja sugado.
  • 10 - Nunca encoste o equipamento no fio do cabelo.


Fonte: Alessandra Juliano

Transformação

O fio de cabelo é composto por duas partes: o folículo e a haste. ;A haste, a parte do cabelo que emerge da pele, é uma estrutura morta, sem conexões nervosas, composta de proteínas, lipídios, água, melanina e oligoelementos. O seu corte transversal revela três camadas: a medula, o córtex e a cutícula;, explica a tricologista (dermatologista especializada em cabelos) Alessandra Juliano.

Ainda não há muitas informações sobre as funções da medula, mas sabe-se que o córtex é a parte mais importante do fio. Ele é responsável pelo formato e volume dos cabelos, além de ter melanossomos responsáveis por determinar a cor do fio. Já a cutícula é a camada mais externa da haste, formada por células mortas achatadas, as escamas, que são dispostas como telhas em várias camadas. A cutícula é fina e transparente e, por isso, permite ver a cor do córtex.

É a genética que determina as características do cabelo, como diâmetro e estrutura da haste. Por ser um povo formado por várias etnias, o Brasil é um dos únicos países do mundo onde se pode observar todos os oito tipos de cabelo. Mas nem sempre se está satisfeito com o próprio visual e é possível transformá-lo com calor ou com química.

Os processos de modificação do fio que utilizam energia térmica são usados desde o Egito antigo e, ainda hoje, consideradas importantes opções para modificar as características do fio. ;Tornaram-se mais práticos a partir de 1920 com o surgimento dos secadores portáteis e, mais recentemente, com a comercialização das chapinhas. O mecanismo de ação envolve basicamente o rearranjo das pontes de hidrogênio contidas no fio, decorrentes da exposição ao calor e do estresse mecânico;, conta a tricologista.

O calor não pode ser usado indiscriminadamente, uma vez que a integridade do fio é ameaçada. A temperatura de alguns aparelhos pode exceder os limites e as proteínas podem acabar perdendo as suas funções e, por isso, é preciso tomar cuidado. Cabelos secos ficam ameaçados em temperaturas entre 235 e 250;C e os úmidos, entre 155 e 160;C.

Quando se altera a estrutura do cabelo, em um alisamento ou permanente, o que acontece é uma mudança na química do fio. ;O processo de transformação pode acontecer de maneira temporária, quando envolve alteração química das pontes de hidrogênio e das ligações iônicas, ou permanente, quando as ligações covalentes são modificadas;, esclarece Alessandra.

A maior preocupação em termos de alisamento, hoje, é encontrar ativos que substituam bem o formol e o ácido acético, substâncias que causam danos aos fios. Já há no mercado escovas alisantes que funcionam em apenas um passo, com uma rede de aminoácidos que trata os cabelos de forma natural e sem contra indicações.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação