A flauta delicada de uma dama

A flauta delicada de uma dama

Odette Ernest Dias volta a Brasília interpretando peças de Bach e Paul Horn

» Irlam Rocha Lima
postado em 18/05/2015 00:00
 (foto: Arquivo CB/D.A Press)
(foto: Arquivo CB/D.A Press)


Odette Ernest Dias sempre foi cuidadosa e detalhista em relação aos trabalhos que realiza. Há três anos a flautista, que morou em Brasília entre 1974 e 1994, deixou de lado o aparato tecnológico dos modernos estúdios e se instalou no interior do Igreja do Carraça, localizado no parque ecológico do mesmo nome, em Minas Gerais, para gravar Horizontes, seu álbum mais recente.


;Foi a maravilhosa acústica do santuário que me levou a escolhê-lo para fazer o registro do repertório, que junta as sarabandas das suítes do barroco Johann Sebastian Bach à delicadeza meditativa do smoot jazz do norte-americano Paul Horn, um músico e compositor contemporâneo. ;, explica Odette, com a conhecida e elogiada concisão.


Aos 86 anos, a musicista francesa continua a espalhar talento por onde passa. E não são poucos os lugares aos quais tem levado sua arte ; tanto no Brasil quanto no exterior. Há algum tempo distante dos palcos brasilienses, ela retorna hoje para apresentação única, às 20h, no Teatro da Caixa, na abertura da terceira temporada do projeto Solo Música.

Aquarelas

No recital desta noite, Odette toca as peças do disco, divididas em seis blocos. Na abertura, o público ouvirá o som dos pássaros e da natureza, gravados na serra do Carraça, enquanto, no telão, serão projetadas aquarelas criadas pela artista ; faceta pouco conhecida de seu talento.

;Nesse trabalho, por sentir proximidade entre elas, quis unir a música abstrata de Bach e o movimento lento dos improvisos de Paul Horn; quase mantras ; que estão no disco Inside, gravado em 1968, no Taj Mahal, quando ele viajou com os Beatles à Índia;, conta.


Quando Paul veio ao Brasil, no começo da década de 1970, para participar do Festival Internacional da Canção, Odette foi apresentada a ele. ;À época eu integrava a orquestra da TV Globo ; organizadora do evento. Depois, tomei conhecimento das composições dele, num caderno com partituras;, lembra. Passou um tempo e comecei a praticar. Há três anos me veio a ideia de gravá-las;, complementa.


Mas não são apenas peças de Bach e Paul que fazem parte do programa do recital. ;Vou promover a fusão entre a música clássica, a world music e o choro brasileiro, interpretando, além de Bach e Paul Horn, peças de Claude Debyssy, François Couperin, Heitor Villa-Lobos, Francisco Mignone, Radamés Gnattali e K. Chimbinho;, adianta Odette.


Na capital federal, na primeira metade da década de 1970, Odette ; ex-integrante da Orquestra Sinfônica da UnB, ex-professora da UnB e Cidadã Honorária de Brasília ;promoveu lendárias rodas de choro, que deram origem ao Clube do Choro. De volta ao Rio de Janeiro em 1996, depois de morar por dois anos em Belo Horizonte, onde deu aulas na Universidade Federal de Minas Gerais, a flautista integrou a Camerata Acácia Brasil.


Odette Ernest Dias

Recital da flautista hoje, às 20h, pelo projeto Solo Música, no Teatro da Caixa (Setor Bancário Sul). Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia). Não recomendado para menores de 12 anos. 3206-6456 e 3206-9448.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação