Queniano pede a mão da filha de Obama

Queniano pede a mão da filha de Obama

postado em 27/05/2015 00:00
 (foto: Jonathan Ernst/Reuters - 14/12/14)
(foto: Jonathan Ernst/Reuters - 14/12/14)


Barack Obama, que chegou à Casa Branca como pai de duas meninas, tem agora para analisar o pedido de um queniano, conterrâneo de seu pai, que oferece 150 cabeças de gado como dote pela mão da primogênita do presidente norte-americano. Felix Kiprono, advogado de 23 anos, se dispõe a dar 50 vacas, 70 ovelhas e 30 cabras a Obama para conseguir realizar o sonho de se casar com Malia, que completa 17 anos em 4 de julho. ;Interessei-me por ela em 2008;, disse o pretendente em entrevista ao jornal The Nairobian. Na ocasião, Obama tinha conquistado o primeiro mandato na Casa Branca e a filha mais velha tinha 10 anos.





;De fato, desde então não saí com mais ninguém e prometi ser fiel a ela;, jura Kiprono. ;A oferta que eu fiz apenas para ;reservá-la;, algo permitido pela lei costumeira do meu povo, da etnia Kalenjin, e pelo artigo 44 da Constituição do Quênia, consistente com a justiça e a moralidade;, comentou. ;É a mais alta oferta já feita segundo o direito consuetudinário kalenjin;, acrescentou. O advogado espera poder formalizar o pedido em julho, quando se espera que o presidente americano faça a primeira visita oficial ao Quênia ; com a primeira-dama e as filhas. A avó paterna de Obama, que tem mais de 90 anos, segue vivendo em Kogelo, no oeste do Quênia, origem de onde vários parentes do mandatário.

;Compartilhei isso com minha família e estão dispostos a me ajudar a aumentar o dote;, acrescentou. A tradição rural do Quênia e de outros países africanos prevê que o pretendente à mão de uma mulher ofereça uma doação patrimonial como ;capital inicial; para a nova família. ;As pessoas podem dizer que estou atrás do dinheiro da família, mas não é o caso. Meu amor é real;, garante Kiprono.

O jovem advogado diz que planeja pedir Malia Obama em casamento em uma colina, perto de seu povoado natal. Ele já pensa em detalhes da festa de casamento. O champanhe, por exemplo, seria substituído pelo mursik, um tipo de bebida de leite fermentado de uso tradicional na tribo kalenji, à qual ele pertence. Kiprono projeta para o futuro ;uma vida simples; ao lado da menina que viveu na Casa Branca a transição da infância para a adolescência. ;Ensinarei Malia como ordenhar uma vaca, como cozinhar ugali e preparar mursik, como faz qualquer mulher kalenji;, completa Kiprono.



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação