Atmosfera corroída

Atmosfera corroída

postado em 27/05/2015 00:00

O uso dos gases CFCs foi iniciado nos anos 1930 na fabricação de refrigeradores. Nos anos seguintes, passaram a ser usados cada vez mais pela indústria. Nos anos 1970, os pesquisadores Paul Crutzen, Mario Molina e Sherwood Rowland decidiram investigar o impacto desses gases na atmosfera. A iniciativa pioneira deu ao trio, em 1995, o Nobel de Química.


A partir do questionamento dos três cientistas, o British Antartic Survey começou a monitorar a atmosfera sobre o Polo Sul. Comparando dados desde a década anterior, os cientistas chegaram à conclusão, em 1985, de que a camada de ozônio na região sofria uma diminuição considerável todo início de primavera, quando o Sol reaparece. O que se descobriu mais tarde é que, durante o inverno, nuvens se formam sobre a Antártida e ativam substâncias capazes de destruir o ozônio. Com o retorno do Sol, essas substâncias (presentes nos CFCs) reagem e ;corroem; o oz;onio a uma taxa de 1% ao dia.


Em 1996, foi constatado que um pequeno buraco na camada se formou sobre o Reino Unido. O Hemisfério Sul, porém, é o mais ameaçado. Foi constatado também que houve pequena degradação sobre os trópicos, e a destruição da camada em todo o planeta é avaliada na ordem de 4%.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação