Argentino com tempero brasileiro

Argentino com tempero brasileiro

Irlam Rocha Lima
postado em 27/05/2015 00:00
 (foto: Daniel Ramalho/Divulgação
)
(foto: Daniel Ramalho/Divulgação )


A argentino Victor Biglione tornou-se conhecido como um dos mais destacados guitarristas da cena musical brasileira. Com estilo eclético, ele passeia com naturalidade pela bossa nova, jazz, blues e pop e rock, tocou com grandes estrelas da MPB ; de Gal Costa a Cássia Eller ; e integrou a legendária banda A Cor do Som, na primeira metade da década de 1980.

Nos 16 discos solos e em duos, que lançou no Brasil e no exterior, a guitarra sempre foi o instrumento que ele utilizou, embora seja também um elogiado violonista. Em seu novo CD, Biglione usou o violão de aço nas 13 faixas, colocando em relevo um instrumento que estava em desuso. ;O violão de aço é um instrumento solista, com o qual Dilermando Reis tocava valsas e chorinhos; e que foi utilizado pelos antigos sambistas;, lembra.

Biglione, que se apresenta de hoje a sexta-feira, às 21h, no Espaço Cultural do Choro, pelo projeto Para sempre Dominguinhos, lembra: ;Com a chegada da bossa nova o violão de aço foi trocado pelo violão de nylon por João Gilberto e outros violonistas. Baden Powell, em seus afro sambas, e a geração de Raphael Rabello também preferiam utilizar o de nylon. O de aço só era ouvido nas gravações de baladas pop;.

;Em Violão de aço Brasil, o CD que vou lançar nesses três show sno Clube do Choro, quis mostrar as muitas possibilidades desse instrumento versátil. Foi com ele que toquei em duos com Wagner Tiso, Marcos Valle, João Bosco, Yamandu Costa, Marcel Powell e Andy Summers (ex-The Police);, conta o músico e arranjador. No álbum, ele teve a companhia de Jefferson Lescowich (contrabaixo) e Victor Bertrami (bateria).

O repertório do Violão de aço Brasil traz músicas como Insensatez (Tom Jobim e Vinicius de Moraes), Tostão (Milton Nascimento), Cai dentro (Baden Powell e Paulo César Pinheiro), Amazonas (João Donato), São Jorge (Hermeto Pascoal) e Muié rendeira, entre outras. Algumas delas estão no roteiro do show, em que Biglione tem ao seu lado no palco, além de Bertrami, o contrabaixista carioca-brasiliense Oswaldo Amorim.

;Mas no show também tocarei guitarra, inclusive nas músicas em tributo a Dominguinhos, como Lamento sertanejo e Só quero um xodó, dois clássicos do grande acordeonista; e em Assum preto, de Luiz Gonzaga; e Sebastiana, de Jackson do Paneiro, numa levada de blues. Vou aproveitar para homenagear três guitarristas brasileiros por quem tenho admiração, os baianos Armandinho Macedo e Pepeu Gomes, e o pernambucano Robertinho do Recife.

Victor Biglione
Show do guitarrista e violonista argentino, acompanhado por Victor Bertrami (bateria) e Oswaldo Amorim (baixo), de hoje a sexta-feira, às 21h, pelo projeto Para sempre Dominguinhos. No Espaço Cultural do Choro (Eixo Monumental). Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia para estudantes). Não recomendado para menores de 14 anos. Informações: 3224-0599.

www.correiobraziliense.com.br
Ouça canções do instrumentista.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação