Eixo capital

Eixo capital

Ana maria campos/anacampos.df@dabr.com.br
postado em 10/06/2015 00:00
 (foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press)
(foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press)
Ser ou não ser;

Os parlamentares do PDT passaram a noite ontem em busca de identidade. Em debate, ser governo ou adotar o caminho da independência aberto pela presidente da Câmara Legislativa, Celina Leão. A portas fechadas, Celina, os deputados Reginaldo Veras e Joe Valle e os senadores Cristovam Buarque e Reguffe discutiram uma posição. O secretário do Trabalho, Georges Michel, presidente regional da legenda, também participou. Nesta noite, o grupo seria recebido por Rodrigo Rollemberg (PSB) para avaliar os rumos da aliança vitoriosa na última eleição. Mas o encontro será cancelado. A avaliação geral é de que o governo vai mal. A executiva regional vai deliberar na próxima semana sobre o afastamento. ;Não tenho nenhum cargo no governo nem quero ter. Penso que o PDT daria uma maior contribuição à população não tendo cargos;, resume Reguffe.



Alvo

O chefe da Casa Civil, Hélio Doyle, foi um dos alvos de ataques na reunião dos parlamentares do PDT. Mas não foi o único.
Muitas críticas a Rollemberg.




Com a palavra, o cidadão

Relator da PEC da Maioridade Penal, o deputado Laerte Bessa (PR-DF) discutiu ontem com integrantes da comissão especial da Câmara dos Deputados uma proposta para o tema que ainda vai render debates. O relatório será votado hoje. Muita gente acreditou que o parlamentar, ex-diretor da Polícia Civil do DF, defenderia uma regra bem mais radical. Mas Bessa quis agradar a gregos e troianos. Sintonizado com a sua base, o deputado quer que adolescentes acima de 16 anos respondam por seus atos como qualquer cidadão, mas sem cumprir pena ao lado de bandidos escolados. A palavra final, no entanto, deve sair de um referendo a ser realizado nas próximas eleições. Nessa consulta, a população vai dizer sim ou não à mudança na Constituição. O governo federal, no entanto, não quer nem ouvir falar em aumento da população carcerária. Conta um deficit de vagas de 300 mil lugares.



Dinheiro no subosolo

Pouca gente sabe, mas a Terracap, além de ser dona de terras públicas em todo o Distrito Federal, tem edificações em seu patrimônio. Muitos prédios e hotéis foram vendidos ao longo da história, mas a empresa ainda é a proprietária de garagens subterrâneas de três prédios do Conic, o Setor de Diversões Sul. O problema é que um negócio que poderia ser milionário está abandonado há décadas. Interditados pela Defesa Civil desde o fim do ano passado, os subsolos serão reformados em até seis meses, para que a companhia possa fazer dinheiro, com a venda do imóvel ou por meio de uma parceria para exploração das vagas de garagem no complexo. Nesta manhã, uma empresa de engenharia contratada pela Terracap começa a obra de escoramento de todo o subsolo, para que não haja riscos de desabamento, enquanto é elaborado um laudo de engenharia sobre as condições e o grau de comprometimento da estrutura. Durante o trabalho, todo o comércio vai funcionar normalmente.



Programa zerado

Um mês depois de assumir, o governo Rollemberg reduziu de R$ 242 para R$ 80 o valor pago no Cartão Bolsa Material Escolar, destinado a compra de canetas, lápis, cadernos e livros para estudantes da rede pública. O debate na Câmara Legislativa agora é pela definição das papelarias que poderão ser credenciadas para a venda dos produtos. Enquanto isso, a Secretaria de Educação não aplicou ainda nenhum centavo no programa, segundo levantamento do deputado Chico Leite (PT) no Sistema de Acompanhamento do Orçamento. Em 2014, o governo destinou R$ 27 milhões.



Contaminação

Num ambiente contaminado pela crítica política, o secretário de Saúde, João Batista de Sousa, terá de prestar esclarecimentos no plenário da Câmara Legislativa sobre os procedimentos que estão sendo adotados para conter a proliferação de superbactérias nos hospitais públicos do DF. O deputado Ricardo Vale (PT) havia apresentado um requerimento de convocação, mas ; a pedido de distritais da base ; converteu para convite. A data foi marcada para a próxima segunda-feira. Apesar da gentileza no pedido, João Batista pode receber uma enxurrada de questionamentos. Ele não estará em terreno amistoso. Vários deputados defendem mudanças na pasta.




Querosene para a polêmica

Em meio à discórdia sobre a criação do Memorial Jango no Eixo Monumental, a presidente da Câmara Legislativa, Celina Leão (PDT), propôs a concessão do título de cidadão honorário post mortem ao ex-presidente João Goulart. O projeto foi protocolado na semana passada e está na Comissão de Assuntos Sociais. Celina está sintonizada com o partido, que defende a construção do memorial do Jango no Eixo Monumental.



Garagem da discórdia

Um dos assuntos que deve gerar polêmica na reunião desta quinta-feira do Conselho de Planejamento Urbano e Territorial (Conplan) é a construção de estacionamentos subterrâneos no Eixo Monumental, próximo ao Centro de Convenções.



Corrida contra o tempo

A Secretaria de Gestão do Território e Habitação (Segeth) iniciou, nesta semana, um mutirão para aprovação de processos na Central de Aprovação de Projetos (CAP). Dos 1972 casos nas prateleiras do órgão, 829 projetos de engenharia e 135 alvarás de construção já foram analisados e estão em cumprimento de exigências, ou seja, dependem agora dos interessados.











Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação