Crônica da Cidade

Crônica da Cidade

por Conceição Freitas conceicaofreitas.df@dabr.com.br
postado em 10/06/2015 00:00

Inés, vou com você

;Brasilia est une utopie incarnée;, é uma utopia encarnada ou a encarnação da utopia, em tradução livre. Quem escreve é o urbanista francês Julien Meyrignac no site de seu escritório, o Citadia Vision, em Paris. Meyrignac se dedica ao planejamento urbano ;multidisciplinar, independente, pensativo e inovador;.

Quando visitou Brasília, o francês seguiu os passos de Maria Inés Joo, guia de turismo especializada em roteiros para arquitetos e engenheiros que visitam a capital do urbanismo e da arquitetura moderna. De volta a Paris, descreveu a forte impressão que Brasília lhe causou e sugeriu a arquitetos e urbanistas que procurassem Inés Joo caso visitassem a capital do Brasil.

Guia de turismo há mais de 30 anos, a inquieta Inés Joo montou um site bilingue para apresentar Brasília aos estrangeiros, o www.brasiliaforarchitects. No site, a peruana-brasiliense publica imagens da capital em roteiros VIPs, com passeios de helicóptero, prática de esportes náuticos no Lago Paranoá e alta gastronomia, e diz que ;compartilha com os visitantes os segredos de uma única e misteriosa cidade, Brasília;.

A encarnação da utopia não termina nela mesma. Estende-se pelos arredores ; Chapada dos Veadeiros, Pirenópolis, Abadiânia e Sobradinho, escreve Inés Joo em seu site. Os três primeiros destinos são de evidente explicação: o majestoso altiplano que salta em cânions e cachoeiras, a bucólica cidade colonial e o território dos feitos de João de Deus.

Mas; Sobradinho? Embora de encantadora beleza, margeada pelas chapadas de Contagem, a cidade aparece no roteiro de Inés Joo por uma razão histórico-afetiva. A guia de turismo tem um livrinho, Notícias fresquinhas do passado, no qual conta que Sobradinho foi planejada no escritório de Lucio Costa. E, se assim foi, tem a genealogia do urbanismo projetado para melhorar, verdadeiramente, a vida nas cidades.

Sobradinho é tão idílica quando o Plano Piloto, diz Joo. ;Idílica porque fazer cidades lindas para pobres é algo raro de acontecer, mas aconteceu e essas pessoas de muita sorte que vieram morar em Sobradinho não sabem o valor desse tesouro urbano;.

No site destinado a arquitetos, Inés Joo exalta Brasília como um Lucio Costa travestido de guia turístico: ;Se você ama a calma, o verde, a elegância, venha conhecer Brasília. É um lugar inesperado, surpreendentemente belo e especialmente hospitaleiro;. Os hotéis, informa a guia, estão localizados no centro da cidade, onde também está o Central Park, tudo rodeado de centros comerciais e grande variedade de restaurante de alta gastronomia. Há mirantes para os amantes do pôr do sol e uma feira de artesanato nativo.;

É um urbanismo que ;nos hipnotiza;, continua a peruana-brasiliense. ;Onde há cidade no mundo com vista para o nascer e o pôr-do-sol no centro da cidade e é verão o ano todo? Onde existe no mundo uma cidade onde 3/4 da superfície é coberta de área verde. E onde não há placas de ;não pise na grama;?;.

A guia concluí: ;Venha nadar nas águas mais puras, bem onde elas nascem. Venha pegar cristais de quartzo que a natureza deu a este lugar. Venha passear no Parque Nacional e observar a vida selvagem. Sejam bem-vindos!”

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação