O luxo invade as satélites

O luxo invade as satélites

Distante do Plano Piloto, a oferta de produtos e serviços de alto padrão se espalha pelas regiões administrativas com preços mais acessíveis. Lojas de noivas, salões de beleza e restaurantes estão entre as apostas de empresários que investem no atendimento diferenciado

» ADRIANA BERNARDES
postado em 14/06/2015 00:00
 (foto: Daniel Ferreira/CB/D.A Press)
(foto: Daniel Ferreira/CB/D.A Press)



Surgidas no rastro da construção de Brasília, as regiões administrativas têm passado por constantes transformações. Na última década, uma delas chama atenção: a oferta de produtos e serviços de alto padrão. O luxo que aparece nas ;satélites;, como são chamadas, se difere daquele disponível em estabelecimentos do Plano Piloto e do Lago Sul no preço. Mas, comparado ao comércio tradicional, os estabelecimentos se destacam pela aparência e pela qualidade da mão de obra. A ponto de clientes de áreas nobres de Brasília e até de cidades goianas e mineiras percorreram longas distâncias a fim de adquirir um produto ou serviço.

A aposta dos empresários em itens de alto padrão e mão de obra mais qualificada fica evidente em lojas de noivas, salões de beleza e marcas de grife que se instalam em shoppings. O fenômeno é relativamente novo e, por isso, nem a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Distrito Federal (Fecomércio-DF) nem o Sindicato do Comércio Varejista (Sindivarejista/DF) têm estudo sobre o tema. ;Nas satélites existem pessoas com alto poder aquisitivo e os empresários perceberam isso. Eles não fazem investimentos de forma aleatória. Nesses shoppings, como os de Águas Claras, Taguatinga e Ceilândia, instalam-se lojas de marca e artigos de luxo porque existe demanda para isso;, reconhece Adelmir Santana, presidente da Fecomércio.

Em uma das principais avenidas de Taguatinga, a concentração de lojas de aluguel e venda de vestidos de noiva chama a atenção. Em geral, os estabelecimentos são modestos. Entre eles, a Diana Moura se destaca. A fachada de dois andares de vidro exibe diferentes estilos de noivas. A loja, na QNA 1, está entre as mais refinadas da cidade e promete ;o sonho do vestido perfeito; por valores que variam de R$ 1,5 mil a R$ 5 mil. A loja é clara e bastante ampla. No térreo, o atendimento é especializado em manequins plus size, que vão do 44 ao 60. No primeiro andar, numerações menores.

Moradora de Planaltina, Shirlei Soares da Silva, 24 anos, chegou com a mãe à loja e ficou um pouco intimidada. ;Achei que não poderia pagar por um vestido nesse lugar. As vendedoras receberam a gente na porta, perguntaram sobre como eu gostaria que fosse o vestido e gostei muito. Mas pensava: vou experimentar porque já estou aqui. Mas não vou ter dinheiro para alugar um vestido nesse lugar. E, no fim das contas, encontrei um modelo pelo qual pude pagar;, comemora.

Empréstimos

A proprietária, Diana Moura, começou como manicure de noivas em Ceilândia Norte. Em julho de 2009, arriscou tudo no próprio negócio. Pegou um empréstimo de R$ 60 mil e investiu em um salão especializado em proporcionar o dia da noiva, no Setor P Norte. ;Com o tempo, vi que estava perdendo todo o meu trabalho porque a noiva passava o dia relaxando e, quando vestia o vestido, chorava porque o traje estava sujo ou rasgado. Pensei: vou montar uma casa de noivas. E vai ser a melhor da cidade. Em 2013, peguei R$ 200 mil de empréstimo e assim fiz;, conta.

Este ano, mesmo contra todas as projeções ruins da economia, a empresária deu um novo passo: investiu R$ 500 mil no atual endereço. E, para quem fala em crise, ela rebate com jogo de cintura. ;Eu faço promoções, ajusto o preço e atendo minhas clientes;, diz. Perguntada sobre como percebeu a oportunidade de investir numa loja de luxo em uma região administrativa, e não na área central de Brasília, ela diz que apenas observou o desejo das noivas enquanto era manicure. ;São clientes especiais, que precisam ser tratadas com profissionalismo e produtos de qualidade;, resume.

Um corte de cabelo no Plano Piloto e no Lago Sul, por exemplo, varia entre R$ 100 e R$ 400. Nos melhores estabelecimentos do mesmo ramo nas satélites, a cliente sai de madeixas renovadas por R$ 35 a R$ 100. Para a sindicalista e empresária, o espaço para esses profissionais tem crescido na mesma proporção em que os moradores ascendem socialmente. ;As pessoas nasceram, cresceram e prosperam nessas cidades. É o dono do mercadinho que virou um mercadão, a dona da lojinha de festa que cresceu. Eles continuam vivendo lá, têm um poder aquisitivo alto e querem consumir bens e produtos de qualidade na cidade onde vivem;, explica.

R$ 1 milhão

Quando o assunto é beleza, Tânia Gomes Dias, 49 anos, não economiza. A empresária é dona do Templo da Beleza, um salão de luxo localizado em Samambaia. Com três andares e decoração exuberante, o salão costuma atender clientes de todo o DF. ;Tudo começou quando fui cortar o cabelo e o cabeleireiro errou o corte. Decidi que ia investir pesado em algo diferente, que realmente funcionasse. Queria abrir um salão que só quem é rico tem;, conta.

Natural de Goiânia, Tânia mora no salão com o marido e os quatro filhos. Ela revela que o valor investido no empreendimento ultrapassou R$ 1 milhão de reais. ;Há cerca de 22 anos, compramos o espaço quando ele era apenas uma casa simples. Decidimos trabalhar duro, de forma a fazer o melhor salão possível. Não queríamos ser só mais um;, pontua. A visagista recebe clientes de todas as classes sociais. ;Temos clientes daqui (Samambaia), de Águas Claras e até de Valparaiso (GO). Não me importa se a pessoa chega aqui de chinelo ou de salto; para nós, são todos iguais e merecem o mesmo respeito;, garante.

Quando perguntada sobre o diferencial do estabelecimento, Tânia é enfática. ;O diferencial sou eu, porque estudei e me preparei para trazer para Samambaia um salão que não perde em nada para os salões de lugares mais chiques, como o Sudoeste.;

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação