Prisões e R$ 41,5 bi em contratos sob suspeita

Prisões e R$ 41,5 bi em contratos sob suspeita

Valor corresponde a parcerias da Odebrecht e da Andrade Gutierrez com a Petrobras. Empresas receberam outros R$ 6,3 bi do governo Dilma

JOÃO VALADARES
postado em 20/06/2015 00:00

Os contratos das empreiteiras Norberto Odebrecht e Andrade Gutierrez com a Petrobras atingem o valor de R$ 41,5 bilhões. A informação consta no despacho do juiz federal Sérgio Moro, responsável pelos processos referentes ao esquema de corrupção na petroleira. O magistrado não faz menção ao período de vigência dos contratos. Apenas a Odebrecht abocanhou R$ 33,9 bilhões. Os outros R$ 7,3 bilhões se referem às contratações firmadas com a Andrade Gutierrez. As duas empresas são os principais alvos da 14; fase da Operação Lava-Jato, deflagrada ontem.

De acordo com o despacho judicial, há obras da Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, e do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj) cujas licitações teriam sido fraudadas pelo cartel de empreiteiras. A investigação apontou correspondência do resultado da concorrência com o verificado nas tabelas apresentadas à Justiça Federal pelo executivo Augusto Mendonça, da Toyo Setal, e também nas planilhas apreendidas na construtora Engevix, também envolvida na Lava-Jato.

;Há, pelo que se verifica na análise sumária, suficiente prova da participação da Odebrecht e da Andrade Gutierrez no cartel das empreiteiras e no ajuste dos resultados das licitações. Outra questão diz respeito à prova do pagamento por elas de vantagens indevidas aos dirigentes da Petrobras;, afirma Sérgio Moro.

Além dos contratos com a Petrobras, juntas, as duas construtoras receberam, do governo federal, durante a gestão da presidente Dilma Rousseff, pelo menos R$ 6,3 bilhões, excluindo os seis primeiros meses deste ano. De acordo com dados do próprio governo, no período, foram repassados pelo menos R$ 4,8 bilhões para a Odebrecht e R$ 1,5 bilhão para a Andrade Gutierrez.

Nas eleições de 2014, a Odebrecht doou R$ 39,9 milhões para comitês financeiros de 15 partidos políticos: PV, SD, PT, PMDB, PRB, PSD, PP, PPS, DEM, Pros, PSB, PSDB, PR, PTC e PSC. A empreiteira doou mais R$ 8,5 milhões diretamente para candidatos ; entre eles, Dilma Rousseff, que recebeu R$ 3 milhões, e Aécio Neves, cuja doação chegou a R$ 1 milhão. A Andrade Gutierrez repassou R$ 70 milhões no pleito do ano passado. Desse total, R$ 62,8 milhões foram destinados a comitês financeiros de PSD, PT, PMDB, PSDB, SD, PSC, PSB, PR, PRB e PV. O restante foi direcionado diretamente aos candidatos.

Obras
O chefe da Casa Civil, ministro Aloizio Mercadante, não acredita que a nova fase da Operação Lava-Jato acarretará problemas para as obras de infraestrutura do governo federal. Além do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), o Executivo lançou, há duas semanas, um robusto pacote de concessões, orçado em quase R$ 200 bilhões. ;Se as empresas não forem consideradas inidôneas, poderão participar de qualquer investimento e de qualquer nova iniciativa;, declarou.

Mercadante, no entanto, não quis comentar a prisão dos executivos. ;Não tenho como comentar porque não li as razões da prisão nem sei quem são essas pessoas;, desconversou, após participar de reunião com empresários para preparar o encontro Brasil-Estados Unidos.

Colaborou Paulo de Tarso Lyra



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação